Peugeot 308 1.6 BlueHDi 100 Style

Entradas de sendeiro…

Peugeot 308 1,6 BlueHDi 100 Style (Fotos: Parque das Tílias, Alenquer)

Peugeot 308 1,6 BlueHDi 100 Style (Fotos: Parque das Tílias, Alenquer)

… Para saídas de Leão. As entradas encontram-se no facto de que esta versão 1.6 BlueHDi de 100 cv dá agora acesso ao leque de propostas turbo-Diesel apresentado pela Peugeot neste seu modelo de gama média. As saídas estão naquilo que, em grande Style, a versão permite em termos de qualidade de vida a bordo. Perceba onde estão os pontos fortes de uma versão apostada em vencer, perante a forte concorrência existente no mercado global.

Antes de assumir o futuro 308, a Peugeot decidiu oferecer novos e mais recentes atributos ao seu modelo “best-seller” da gama média. Por exemplo, novos moto0res, mais leves, mais “limpos” e mais agradáveis de utilizar. Um deles, é o bloco 1.6 BlueHDi, agora com 100 cv. Foi esse que agora experimentámos, revelando no final de algumas centenas de quilómetros a surpresa por tudo aquilo que, em domínios como agradabilidade e disponibilidade, mas também equipamento, nele encontrámos.

Sem pressas, mas com sucesso

dsc00157O antecessor deste 308 era a versão equipada com o motor eHDi, mas com 92 cv. Agora, tem mais oito – podem parecer poucos, mas sentem-se. Mais dentro das exigências europeias de controlo de emissores poluentes, o Peugeot 308 1.6 BlueHDi de 100 cv assume-se como uma proposta de entrada de gama, atraente e acessível. Claro que os preços dos automóveis, mais uma vez, subiram – mas tem que se ver que, fazendo-se a equação entre o valor pedido e aquilo que se oferece, as vantagens são evidentes.

dsc00175Espaçoso, atlético mas também equilibrado, nas formas e no conteúdo, o 308 já foi por demais escamoteado, por dentro e por fora  (por exemplo, o “design” apurado, o interior tecnológico – com o intuitivo iCockpit – e de estilo minimalista e com formas depuradas e límpidas), em anteriores “test-drive” assinados no AutoanDRIVE. Por isso, não nos vamos debruçar de uma forma exaustiva sobre estes “pormenores” – muito embora sobressaiam alguns novos retoques exteriores, como a assinatura luminosa em LED, definindo a linha do para-choques, entre as duas grelhas dianteiras, provas de um ligeiro “peeling” assinado pelos estilistas da casa francesa. Mas, excetuando isso, o que mais interessa aqui e agora é perceber até que ponto o 308 Style é ou não uma boa escolha.

dsc00166E, analisados todos os pratos da balança, depressa concluímos que sim – é uma boa escolha. Frugal nos consumos (na ordem dos 4 litros-altos, 5 litros-baixos), nem por isso deixa de apresentar qualidades dinâmicas, pese embora este bloco esteja associado a uma caixa manual de “apenas” cinco relações. Porém, estas são justas e, graças ao seu engreno mais ou menos eficaz (exceção feita às passagens de 4ª para 5ª ou nas reduções mais “agressivas”), consegue-se uma boa dinâmica de rolamento, com o habitual conforto da Peugeot, agora potenciado por uma qualidade majorada, tanto nos materiais, como no conforto e na segurança. Enfim, como sempre e como nos anteriores 308 objeto de ensaios dinâmicos, o modelo médio gaulês continua a manter excelentes pergaminhos como sisudo companheiro de viagens, mesmo as mais longas.

dsc00162A versão Style, situada a meio da oferta existente na gama, vem subsituir o anterior nível Active e surge bastante composta de origem, podendo no entanto ser enriquecida com vários Pack, como o Look, o Sport (este inclui embaladeiras laterais, pedaleira e soleiras das portas em alumínio e dupla saída de escape) ou o Tech (navegação e câmara de visão traseira, mais 790 euros). De série, oferece o Hill Assist; sistema de ajuda ao estacionamento traseiro; bancos tipo “bacquet”; “cruise control” programável; vidros elétricos dsc00167traseiros; retrovisores rebatíveis eletricamente; retrovisor interior electrocromático; ar condicionado automático bi-zona; volante em couro com friso cromado; faróis de nevoeiro; vidros laterais e óculo traseiros escurecidos; insígnia Style nas laterais; e Pack Look, composto pelas pegas das portas e capas dos retrovisores na cor da carroaçria. As jantes são em liga leve de 16” Topaze (podem ser, em opção, de 17”) e a conetividade pode ser consultada e utilizada através de um ecrã tátil de 9,7”. No final, todo este ramalhete custa quase 26.500 euros.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

dsc00169Motor: diant. transv., quatro cilindros em linha, 8 válvulas, 1560 cc, turbo-Diesel de geometria variável, inj.direta c./“common rail”, “intercooler” e filtro de partículas; Potência (cv/rpm): 100/3.750; Binário Máx. (Nm/rpm): 254/1.750; Vel. Máx. (km/h): 183; Acel. 0-100 km/h (s): 11,3; Consumos (l/100 km): 3,6; Consumo AutoanDRIVE (l/100 km): 4,2; Emissões CO2 (g/km): 94; Preço (euros): 26.430

Este Peugeot 308 custa

Este Peugeot 308 custa agora 26.430 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s