Mazda MX-5 1.5 SKYACTIV-G Excellence Navi

Raça divertida

Mazda MX-5 1.5 SKYACTIV-G Excellence Navi (Fotos: Forte de Paimogo)

Mazda MX-5 1.5 SKYACTIV-G Excellence Navi (Fotos: Forte de Paimogo)

Raça divertida: duas palavras que sintetizam bem o espírito do MX-5 desde que a marca o lançou no mercado, já lá vão três décadas. Contudo, esta que é já a sua quarta encarnação, concentra, em 3,92 metros de comprimento – que faz deste o mais curto MX-5 de sempre – os três estágios que caraterizam a mais recente filosofia da Mazda e norteiam o desenvolvimento de cada um dos seus atuais produtos: SKYACTIV, KODO e JINBA ITTAI.

Ou seja, mecânica, design e relação homem/máquina. Tudo, elevado ao extremo. Por isso, o Mazda MX-5 é agora ainda mais leve (quase 100 quilos), mais dinâmico e mais impressivo que os seus irmãos mais velhos. E, também – curiosamente! – mais simples! Nele, não existem altas tecnologias, mecânicas ou eletrónicas; tudo é comandando pelas mãos ou pelos dedos. E até a tradicional capota de lona (hoje, cada vez mais um “must” de classicismo) se escamoteia de uma forma simples – basta desligar os dois trincos através de uma única alavanca central (junto ao espelho retrovisor interior) e empurrá-la toda para trás dos bancos, até um “click” anunciar que ela está encaixada no seu sítio, mas fora da bagageira (algo “vertical” e com pouca arrumação), cujo volume de 130 litros (menos 20 que no anterior) em nada é afetado. Portanto, nada de botões a comandarem a manobra – somente os que elevam os vidros após a manobra, pois estes descem de forma automática dois centímetros para que tudo seja ainda mais fácil… No entanto,. Há também lugar a um reparo: quando se viaja com a capota “posta”, a aerodinâmica torna-se ruidosa a partir dos 120 km/h.

Os olhos comem primeiro…

dsc09944É quase sempre assim; aquilo que fica na retina, fica para sempre – e, por vezes, anula defeitos ou virtudes. Esta quarta geração do MX-5 não é exceção. Antes pelo contrário!

mx-5-pormenorKODO quer dizer a alma em movimento (ou a alma do movimento). É uma filosofia japonesa, em que a imagem é trabalhada em prol de um resultado que (lá está!) fique na memória visual. E, na quarta geração do MX-5 ela é elevada a extremos. Que levam a uma imediata conclusão: em termos estético, este MX-5 nada tem a ver com qualquer outro, dos anteriores!

dsc09940As proporções são do mais equilibradas que já vimos, com o “capot” mais curto 45 mm (bem como a projeção traseira), emoldurando um habitáculo mais recuado, algo que se percebe logo pelos pilares A situados mais atrás 70 mm, assim como o pára-brisas. Na verdade, mais baixo 28 mm, o “capot” é moldado em alumínio, o que, em conjunto com a mesma escolha para a tampa da mala, sub-chassis do motor e os braços da suspensão, contribuem para um ganho de peso que pode chegar à centena de quilos. O que, num carro com menos de uma tonelada (sem o condutor) se reflete depois na sua dinâmica. Mas, quanto a isso, já lá vamos…

dsc09965Ainda no que à estética diz respeito, a nova imagem da Mazda está bem apresentada no MX-5, nomeadamente na frente imponente, em que os grupos óticos rasgados e modernos, embora sem renegar uma genética importante, definem bem tudo aquilo que é necessário para não deixar ninguém, indiferente ao resultado e ao estilo.

mx-5-interior-3Passando para o habitáculo, nele está bem expressa a terceira filosofia da Mazda – automóvel e homem (e não apenas o condutor…) formam um corpo só. JINBO ITTAI! Os bancos são baixos, permitindo um encaixe perfeito dos ocupantes e, em especial, do condutor. Este tem à sua frente um volante de dimensões corretas, que não permite uma regulação em altura – coisa de somenos importância, pois as pernas facilmente encontram os pedais (em alumínio), os dois braços a melhor posição para o agarrar e, ao lado, encontrar a alavanca da caixa de velocidades, situada à altura certa no topo do elevado túnel central. Até o travão de mão mecânico está no sítio certo, embora esconda o botão que controla as funções existentes no ecrã de 7” na consola central.

mx-5-interior-4Acresce dizer que, por cauda das dimensões mais compactas, o habitáculo, no seu todo, também, o é. Mas, atenta a isso, a Mazda convocou soluções simples, como a não existência de um porta-luvas em frente ao passageiro, para que o espaço disponível não ficasse reduzido ou desconfortável. A substituí-lo, inventou um outro espaço, entre as costas dos bancos, com chave e, por trás deles, dois outros espaços, mais pequenos, que ficam escondidos quando eles (os bancos…) não estão rebatidos.

mx-5-vista-superiorEm conclusão, tudo no habitáculo está à disposição do condutor – mais, tudo funciona como se fosse uma extensão do condutor, dos braços às pernas. E, já agora, ao olhar e às sensações dinâmicas. Vamos a elas!

…Depois, é a base inferior da espinha

dsc09961Curto e leve, o novo Mazda MX-5 é muito divertido de conduzir depressa, mesmo se o motor não é um portanto de força. Provoca sensações deliciosas na base da espinha, quando se acelera pelas curvas de Montejunto ou a seguir ao Cercal. Tudo, graças a uma caixa manual de seis velocidades, colocada mesmo à mão de semear (sobre o túnel da transmissão), muito rápida e com um engreno curto e delicioso toque mecânico, onde não há perdas de binário; e a uma direção precisa, informativa, capaz de passar com exatidão o perfil do asfalto para os braços do condutor, que depois mais não tem que colocar a frente no seu sítio e gozar com as derivas redondas da traseira, que raramente se descompõe.

dsc09958Na verdade, o equilíbrio entre o alojamento dianteiro do motor e o fato do MX-5 ser (obviamente!) um “tração traseira” é perfeito e eficaz. O motor é o moderno 1.5 SKYACTIV-G (de gasolina), já existente no “2”, “3” e CX-3, com quatro cilindros e injeção direta, mas com uma admissão 30% mais eficiente e uma cambota em aço, mais adaptada para rotações mais elevadas.

dsc09964Este é um dos raros motores a gasolina atuais que não tem por base de potência um turbo, por muito pequeno que seja. Mas, também não precisa: os seus 131 cv são suficientes para uma condução tão rápida como descontraída, assim como para “flutuar” de semáforo em semáforo pelas urbes mais complexas.

dsc09957Uma agilidade que fica completa pela direção precisa, com duplo pinhão e cremalheira, que já referimos, bem como pela suspensão que, embora estruturalmente igual à da terceira geração (triângulos sobrepostos na frente e multi-link atrás), é mais leve 12 kg, em resultado da utilização de alumínio em alguns dos seus componentes.

dsc09968E, com um red-line nas 7.500 rpm e um escape compacto, emanando um som viril e enrouquecido, como se fosse o respirar de um motor com o dobro da potência, o MX-5 é um agradável companheiro de viagem, seja esta de desporto (gritando de curva em curva, no alto da serra) ou de puro lazer (à beira da orla marítima, numa qualquer marginal da nossa costa).

Com start/stop (de série neste nível) e com botão de arranque, o motor até nem é muito guloso. No final, conseguimos médias de 6,5 l/100 km, maioritariamente em estrada aberta e com dois ocupantes em permanência, o que até nem é mau.

Barato e com equipamento q.b.

dsc09963Tudo, por menos de 26 mil euros! É verdade, é este o preço do Mazda MX-5 com o motor de 131 cv e um equipamento a condizer. Mas que, a exemplo de rivais bem mais caros, oferece (panóplias eletrónicas e de infotainement complicado à parte…) tudo o necessário para uma boa qualidade de vida a bordo.

Por exemplo: os dois passageiros viajam bem encaixados no habitáculo, conforme já se disse – algo que não é muito vulgar nesses outros rivais, onde o conjunto homem/máquina resulta menos natural ou mais forçado.

dsc09937Mais: neste nível Excellence Navi, topo de gama e, por isso, mais caro cerca de 6.000 euros, os bancos são em pele, aquecidos, com pespontos vermelhos – que também existem no revestimento, em pele, do volante. No habitáculo, pontuam inserções em pele e tipo carbono, dando um toque de luxo e exclusividade ao conjunto.

mazda-mx-5-bancosA qualidade geral de construção do habitáculo é boa, sem ruídos parasitas ou folgas nas junções mais críticas, o que demonstra o cuidado colocado pela Mazda na longevidade e na qualidade do resultado final. Os materiais são agradáveis ao tato e não emitem aquela fraqueza e vulgaridade ao em voga quando se quer poupar…

dsc09951Em termos de equipamento de série, o destaque vai para as luzes diurnas em LED; puxadores das portas na cor da carroçaria; sensores de chuva, luz e estacionamento; ecrã tátil de 7” com funções de navegação, segurança, condução e infotainement; sistema áudio BOSE; controlo dinâmico de estabilidade (DSC); e High Beam Control (HBC). O i-Stop é um dos opcionais, bem como o Mazda Sound System, de 4 ou 6 colunas; saídas USB e AUX e… o ar condicionado manual (!).

Mas, se a ergonomia não merece grandes reparos, com as pernas esticadas para baixo do motor e os comandos à distância certa (o mesmo não se pode dizer dos espaços para colocar copos, que obrigam a um certo contorcionismo corporal), há pouca visibilidade lateral nas manobras de saída em marcha-atrás dos estacionamentos, com a capota colocada, muito por causa dos pilares traseiros de grande superfície e especialmente largura. Na postura descapotável, isso não existe, claro!

dsc09939Para finalizar, o porta-bagagens tem abertura com o comando da chave, à distância, com pressão no botão, ou então no botão situado do lado direito e em baixo da matrícula traseira, que é preciso procurar para ser encontrado.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

dsc09933Motor: Diant. transv., duas árvores de cames à cabeça, quatro cilindros em linha, 16 v., 1.496 cc, injeção direta a gasolina; Potência (cv/rpm): 131/7.000; Binário Máx. (Nm/rpm): 150/4.800; Vel. Máx. (km/h): 204; Acel. 0-100 km/h (s): 8,3; Consumos (l/100 km): 6,0; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 6,8; Emissões CO2 (g/km): 139; Preço (euros): 32.070 (25.970 euros/preço base versão Essence)

O preço desta versão arranca nos 31.070 euros

O preço desta versão arranca nos 31.070 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos e Divulgação (Interiores)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s