Renault Mégane GT 205 EDC

O aperitivo

Renault Mègane GT 205 EDC (Fotos: Serra de Montejunto)

Renault Mègane GT 205 EDC (Fotos: Serra de Montejunto)

O novo Renault Mégane GT nada tem a ver com o anterior. A começar pelo motor e a terminar no chassis, este é um pacote diferente, que na sua essência serve de aperitivo para a próxima geração do Mégane Sport, que irá funcionar como o verdadeiro desportivo da gama. Mas, enquanto não chega, fica este “amuse bouche” já bem apaladado, que pelo menos serve para deixar com água na boca os mais irrequietos indefetíveis das versões musculadas.

dsc09834Sem querermos ser teimosos ou repetitivos, sublinhamos desde já: este é o único GT existente na gama Mégane da Renault. E porquê? Simples: primeiro, tem um motor a gasolina, que funciona quase como uma condição “sine qua non” para o efeito pretendido – ser mais performante que todos os outros existentes no painel Mègane e dar-lhe, desde logo, um cheirinho mais desportivo. E, em segundo lugar, ostenta um chassis e ligações ao solo buriladas de acordo com estes pergaminhos cheios de adrenalina. A seguir, iremos procurar perceber estes argumentos e explicar as sensações ao volante.

Depressa e bem

dsc09827Sentados ao volante do Renault Mégane GT, percebemos de imediato ao que vamos: um pouco mais de emoção na estrada, em especial se esta for sinuosa q.b. – ou, em última análise, nas curvas de um qualquer circuito de velocidade. Mas, como não há tantos assim disponíveis do pé parta a mão. Decidimo-nos pela Serra de Montejunto, fazendo o conhecido troço que já foi do Rallye de Portugal. Em dia “morto” – ou seja, em que sabíamos que a estrada (estreita…) não iria estar pejada de ciclistas inconscientes e arrogantes… com a (falsa) ideia de que a “lei” protege as suas alarvidades na estrada… Conseguimos!

megane-gt-interiorRepetimos: sentados ao volante, aquilo que vemos é um habitáculo semelhante ao do Mégane “de Lineu”, mas com alguns retoques a clamar por adrenalina. Desde logo, o volante em pele perfurada (claro: de boa pega…) com as letrinhas “GT” em baixo; e as inserções a azul disseminadas pelo habitáculo, incluindo nas definições-base do ecrã do R-Link 2 e nos mostradores. No resto – espaços de conveniência, ergonomia dos comandos, por exemplo, este Mégane é idêntico aos outros. Atrás, o espaço para as pernas é suficiente, como nos outros Mégane e, se há quem se queixe de uma menor visibilidade para a retaguarda, é melhor que se recorde que nos automóveis existem várias “coisas” chamadas espelhos retrovisores – que, como o nome indica, são para ver melhor para… trás.

dsc09817Lá fora, coisa que não se vê quando já estamos instalados nos bancos de excelente apoio lombar, em pele (azul) e alcântara, ficaram os retoques que a Renault deu na imagem do novo Mégane GT. Desde as duas grelhas dianteiras em rede negra, com a inferior maior que a superior e nitidamente vocacionada para uma melhor refrigeração dos órgãos mecânicos principais, às óticas direcionais alojadas em “cama” cromada, ao “spoiler” dianteiro com lábio em borracha, na frente e, de lado, às abas mais largas. dsc09802E, atrás, desde às saídas de escape cromadas, uma de cada lado do extrator aerodinâmico, à sigla GT situada do lado direito do portão e, enfim, ao difusor colocado por cima do óculo e “agarrado” de uma forma mais firme e aerodinâmica à carroçaria – tudo isto contribui para fazer a diferença entre o Mégane “vulgar” e este GT. Que venha, agora, o R.S.! Deverá ser… bombástico de olhar… e não só!

dsc09809Carreguemos na embraiagem o no botão do “start/stop”. Aquilo que se ouve é um roncar ligeiramente rouco, mas nada de portentoso – percebe-se, isso sim, e claramente, que estamos a bordo de um automóvel com motor a gasolina. E que ele deverá ser potente e, vamos lá, digamos que algo “interessante” de desvendar.

dsc09825A caixa é a já conhecida EDC de dupla embraiagem, com sete velocidades e possibilidade de efetuar as passagens respetivas usando as patilhas no volante – grandes, vistosas, para cima à direita, para baixo à esquerda. A passagem é suave, parecendo pouco desportiva e muito menos brusca – o ideal mesmo, é usar as patilhas, se queremos que o motor responda com agressividade, naquelas situações mais, digamos, complicadas. Exercer a condução apenas com as mãos no volante e acreditando piamente na eletrónica da caixa quer dizer uma condução suave, descontraída, que será decerto rápida, mas à qual faltará aquela pitada de emoção, com “sustos” acrescentados aqui e ali…

dsc09823E, verdade seja dita, embora sem ser um desportivo puro e duro, explosivo, o novo Mégane GT quer-se “pilotado a sério”, para dele se retirarem todos os pozinhos de gozo. Por baixo do “capot”, onde pontua a identificação da versão através de um orgulhoso “GT” bem visível na grelha dianteira em rede negra, aloja-se o novo motor 1.6 Turbo com 205 cv – menos 15 que a geração anterior, que arvorava o mais impressionante número de 220 cv. Mas, apesar de tudo, o novo Mégane GT não deixa de impressionar pela sua agilidade e destreza, assim como pela disponibilidade evidenciada desde tenras rotações. Depois disso, carregar a preceito no pedal do lado direito e trocar de caixa com a ponta dos dedos, significa que se vai dos 0 aos 100 km/h em pouco mais de 7s e, melhor que tudo, que o som do motor se torna mais agudo e intrusivo. Enfim, mais “à carro de corrida”, que, serra acima, vai devorando a distância, saltitando de curva para curva, sem hesitar nos pontos mais empenhativos, como aquela curva à esquerda, com topo, logo a seguir a uma direita a subir… Notável!

dsc09818Claro que para esta eficácia ser possível, a Renault recorreu a umas ligações ao solo mais enrijecidas, assentes em grandes jantes de 19”, bem como a um chassis mais leve. Mas, principalmente, ao sistema 4Control, que controla a direcionabilidade das quatro rodas e que, graças a isso, permite colocar o carro onde se quiser, (quase) à velocidade que se quiser, esquecendo um pouco a pacatez quotidiana, para a qual o Mégane GT também foi um pouco talhado – chega a ser confortável a ritmos moderados, desde que não se invadam ruas com piso irregular, tão em voga nas nossas cidades…

dsc09812Ah! E já que falamos em cidade, nestas as manobras de estacionamento (e manobra…) estão igualmente facilitadas por este sistema, pois a direção fica mais leve e suave. O sistema de travagem é mais forte, mais preciso, pois as velocidades atingidas são também outras; e, voltando de novo à cidade, isso até é bem útil, pois é aí que residem as maiores armadilhas da condução, tantas vezes evitadas com a precisão das travagens.

dsc09814Antes de terminarmos, duas coisas mais. A primeira, uma referência ao R-Link 2, o novo sistema de informação e entretenimento da Renault, com ecrãs ativados por toque e que incluem quase de tudo um pouco, no que diz respeito às necessidades de um condutor normal, mas também atento ao seu tempo e que não dispensa mordomias como internet, duplicação do smartphone no ecrã e mais algumas “maldades” atuais, que quase sempre são dispensáveis para a condução pura e simples e que, nas mãos de um “infoexcluído”, se podem tornar armas letais na estrada…

dsc09831A segunda, diz respeito aos consumos. A marca francesa anuncia apenas 6 l/100 km, mas realidade é outra: mesmo sem grandes exageros, conte sempre com médias mais perto dos 8 litros. Pelo nosso lado, ficámo-nos pelos 7,8… Bom, por todo este pacote, terá que desembolsar pouco mais de 31 mil euros, um valor dentro do habitual neste tipo de automóveis e bastante sensato, tantas as coisas que o novo Mégane GT é capaz de oferecer ao seu condutor. E, já agora, passageiros. Antes de sairmos, um conselho – divirta-se!

CARATERÍSTICAS TÉCNICAS

dsc09804Motor: Diant. transv., 4 cil. em linha,  4 válvulas p./cilindro, 16 v., 1.613 cc, turbo c./”intercooler”, inj.dir. a gasolina; Potência (cv/rpm): 205/6.000; Binário Máx. (Nm/rpm): 280/2.400; Vel. Máx. (km/h): 230; Acel. 0-100 km/h (s): 7,1; Consumos (l/100 km): 6; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 7,8; Emissões CO2 (g/km): 134; Preço (euros): 31.350

O Mègane GT custa pouco mais de 31 mil euros

O Mègane GT custa pouco mais de 31 mil euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos; C.Santos

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s