Alexander Rossi chocou toda a gente nas Indy 500

Vencedor na sua primeira vez

Alexander Rossi ganhou as Indy 500 na estreia

Alexander Rossi ganhou as Indy 500 na estreia

Alexander Rossi foi o vencedor da 100ª edição das 500 Milhas de Indianapolis, mais conhecidas por Indy 500 e que é “apenas” a mais antiga prova de automóveis que se realiza, ininterruptamente (com exceção dos anos das duas Guerras Mundiais) desde a sua criação, em 1911. Até aqui, nada de anormal – apenas que todos os 33 pilotos queriam ganhar esta edição histórica e conquistar o mais apetecido do Borg-Warner Trophy e que, nessa ânsia, se foram eliminando ao longo de uma das mais frenéticas edições da prova, a começar pelo vencedor do não passado, Juan Pablo Montoya, cujas aspirações cedo ficaram no muro. O que não é nada normal é que esta foi a primeira vez que Rossi, piloto da Andretti Herta Autosport, participou nas Indy 500, o que faz dele um “rookie” (estreante), coisa que também acontece no campeonato, onde se refugiou depois de ver as suas aspirações em ser piloto de F1 a tempo inteiro (com a Manor) destruídas, no final da época de 2015.

Por isso, foi um choque quando Rossi cruzou a linha da meta, adotando um comportamento calculista – ao contrário da maioria dos outros candidatos, ele não parou para reabastecer na fase final da corrida, que viu uma “enésima” situação de bandeiras amarelas, para retirar os destroços dos carros de Mikhail Aleshin e Conor Daly, que colidiram. Deixou-se ir na “onda”, perdendo sete segundos nas últimas três voltas, uma “eternidade” que permitiu a aproximação dos rivais, de tanque abastecido de fresco… E, pouco depois de receber a bandeira de xadrez como vencedor, ficou mesmo sem combustível no seu Dallara DW12/Honda, tendo que pedir para o irem buscar para a Victory Lane, onde bebeu depois o tradicional leite com que são comemorados os triunfos nas Indy 500.

A última vez que um “rookie” tinha ganho a prova tinha sido em 2001 – o seu nome era Helio Castroneves, que ganhou depois mais duas vezes (2002 e 2009) e, este ano, se aprestava para conquistar o quarto “caneco”, antes de se atrasar, acabando em 11º lugar – o mesmo de onde tinha largado Rossi, o vencedor. Que, com, isso, Rossi embolsou um cheque de 2,5 milhões de dólares, valor que quase dá para comprar o lugar de titular na Manor, onde é este ano piloto de reserva… após ter disputado cinco GP no ano passado.

CLASSIFICAÇÃO

Alexander Rossi (Andretti) 200 voltas; Carlos Muñoz (Andretti) a 4,4975s; Josef Newgarden (Carpenter) a 4,9304s; Tony Kanaan (Ganassi) a 10.4963s; Charlie Kimball (Ganassi) a 10.5218s; JR Hildebrand (Carpenter) a 11.3459s; James Hinchcliffe (Schmidt Peterson) a 12.7744s; Scott Dixon (Ganassi) a 15.1607s; Sébastien Bourdais (KVSH) a 21.0613s; 10º Will Power (Penske) a 21.5171.

HR

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s