Nico Rosberg começou temporada a ganhar

GP Austrália marcado por acidente de Alonso

Rosberg festeja no pódio o primeiro triunfo do ano

Rosberg festeja no pódio o primeiro triunfo do ano

O resultado da prova de abertura da temporada de F1 de 2016, o GP da Austrália, é apenas enganoso: nos dois primeiros lugares, ficaram os dois Mercedes, com Nico Rosberg (a exemplo do que sucedeu nas últimas provas de 2015) a bater o seu colega de equipa e Campeão do Mundo em título, Lewis Hamilton. No lugar mais baixo do pódio quedou-se Sebastian Vettel, no único Ferrari sobrevivente. Mas a semelhanças com o passado recente são apenas estas: a prova australiana foi fértil em incidências e, caso continuem assim os GP que vêm a seguir no calendário, iremos assistir a um campeonato mais renhido que os dois anteriores.

Os Mercedes falharam o arranque e Vettel aproveitou para assumir o comando da prova

Os Mercedes falharam o arranque e Vettel aproveitou para assumir o comando da prova

Autor da “pole”, (a 50ª da sua carreira na F1), Lewis Hamilton falhou o arranque, caindo para o sexto lugar. Quem melhor reagiu aos semáforos foram os Ferrari, com Vettel a saltar para frente, aí ficando durante as primeiras 16 voltas, dominando com autoridade os acontecimentos e vendo ficar pelo caminho, muito cedo, o seu colega de equipa Kimi Raikkonen, vítima de problemas no motor do seu Ferrari.

A prova ficou marcada por este acidente entre Alonso e Gutiérrez

A prova ficou marcada por este acidente entre Alonso e Gutiérrez

Porém, na 3ª curva da 17ª volta, tudo se alterou: Fernando Alonso (McLaren) procurou ultrapassar Estebán Gutiérrez (Haas), mas este chegou-se ligeiramente para a esquerda e o espanhol foi incapaz de evitar o contato.

Alonso tornou-se um mero passageiro do McLaren a desfazer-se

Alonso tornou-se um mero passageiro do McLaren a desfazer-se

O McLaren foi contra os “rails” do lado esquerdo da pista e, a partir daí, Alonso tornou-se um mero passageiro do seu monolugar que, após diversos e horrorosos capotamentos, durante os quais se foi literalmente desfazendo, se imobilizou no final da escapatória.

Alonso saiu ileso mas um bocado confuso dos destroços do Mclaren

Alonso saiu ileso mas um bocado confuso dos destroços do Mclaren

O piloto saiu ileso, mas muito confuso, dos destroços do McLaren e, mais tarde, agradeceu à grande segurança dos atuais carros de F1 o facto de estar vivo e sem ferimentos graves.

Outra “corrida” na segunda parte

Na segunda parte da prova Hamilton conseguiu bater Vettel e garantir o 2º lugar

Na segunda parte da prova Hamilton conseguiu bater Vettel e garantir o 2º lugar

A corrida foi então parada e, depois de reatada, percebeu-se que a Ferrari tinha assumido uma estratégia errada na escolha de pneus, tendo Vettel que entrar nas boxes para trocar de super macios para outros mais duros (composto médio).

Daniel Ricciardo foi um excelente 4º classificado

Daniel Ricciardo foi um excelente 4º classificado

Quem não errou nesta opção foram os Mercedes, com Rosberg a chegar o comando das operações de forma definitiva, enquanto Hamilton se deu por muito feliz em subir ao 2º lugar após a boa tática da sua equipa. Vettel ainda conseguiu ser 3º, na frente de Daniel Ricciardo, que provou a boa eficácia do novo motor Renault ao fazer a volta mais rápida da corrida, e de Felipe Massa, com o primeiro dos Williams. O segundo, de Valtteri Bottas, terminou em 8º, após uma boa recuperação desde o 16º lugar em que partiu, fruto da penalização sofrida por ter trocado de caixa de velocidades antes da corrida.

Sainz bateu Verstappen numa luta muito particular entre os Toro Rosso

Sainz bateu Verstappen numa luta muito particular entre os Toro Rosso

Nico Hulkenberg levou o Force India ao 7º lugar, enquanto os dois Toro Rosso ocuparam os dois derradeiros lugares pontuáveis, que não refletem o que os seus pilotos fizeram na prova enquanto as coisas lhe correram de feição. No final, Carlos Sainz logrou bater Max Verstappen, que se queixou da estratégia da equipa, ele que chegou a rodar em 4º lugar, na fase inicial da prova. No final, o holandês encetou a primeira polémica do ano, manifestando-se desagradado com a forma como a sua corrida foi gerida a partir das boxes, donde nunca lhe terão dado autorização para suplantar o seu colega de equipa, que estaria mais lento, chegando mesmo os dois carros a tocarem-se…

Grosjean ofereceu um inesperado 6º lugar à estreante Haas

Grosjean ofereceu um inesperado 6º lugar à estreante Haas

Uma palavra ainda para o excelente resultado de Romain Grosjean, que foi 6º na estreia da Haas na F1 o que, de certa forma, terá feito esquecer o terrível acidente protagonizado pelo seu colega de equipa, Gutiérrez.

Palmer foi o melhor estreante, em 11º com a regressada Renault

Palmer foi o melhor estreante, em 11º com a regressada Renault

E por falar em estreias, o melhor “rookie” foi Jolyon Palmer, em 11º lugar com o Renault, no regresso da marca do losango à F1 como construtor, batendo mesmo o seu mais experiente colega de equipa, Kevin Magnussen. Pascal Wehrlein, que prometeu, na primeira parte da prova, um resultado melhor com o Manor, acabou por ser vítima de diversos problemas mecânicos, acabando em 16º e último lugar.

Classificações

Corrida – 1º Nico Rosberg (Mercedes F1 W07/Mercedes), 57 voltas em 1h48m15,565s; 2º Lewis Hamilton (Mercedes F1 W07/Mercedes), a 8,606s; 3º Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H/Ferrari), a 9,643s; 4º Daniel Ricciardo (Red Bull RB12/Renault), a 34,330s; 5º Felipe Massa (Williams FW38/Mercedes), a 58,979s; 6º Romain Grosjean (Haas VF-16/Ferrari), a 1m12,081s; 7º Nico Hulkenberg (Force India VJM09/Mercedes), a 1m14,199s; 8º Valtteri Bottas (Williams FW38/Mercedes), a 1m15,153s; 9º Carlos Sainz (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1m15,680s; 10º Max Verstappen (Toro Rosso STR11/Ferrari), a 1m16,833s; 11º Jolyon Palmer (Renault R.S.16/Renault), a 1m23,399s; 12º Kevin Magnussen (Renault R.S.16/Renault), a 1m25,606s; 13º Sergio Pérez (Force India VJM09/Mercedes), a 1m31,699s; 14º Jenson Button (McLaren MP4-31/Honda), a 1 v.; 15º Felipe Nasr (Sauber C35/Ferrari), a 1 v.; 16º Pascal Wehrlein (Manor MRT05/Mercedes), a 1 v.

Abandonos:

O 16º lugar não reflete a boa corrida feita pelo estreante Wehrlein

O 16º lugar não reflete a boa corrida feita pelo estreante Wehrlein

Marcus Ericsson (Sauber C35/Ferrari), suspensão (v. 39); Kimi Raikkonen (Ferrari SF16-H/Ferrari), motor (v. 22); Rio Haryanto (Manor MRT05/Mercedes), problema mecânico (v. 18); Fernando Alonso (McLaren MP4-31/Honda), acidente (v. 17); Estebán Gutiérrez (Haas VF-16/Ferrari), acidente (v. 17); Daniil Kvyat (Red Bull RB12/Renault), problema, elétrico (v. 1)

Campeonato do Mundo

Pilotos – 1º N. Rosberg, 25 pontos; 2º L. Hamilton, 18; 3º S. Vettel, 15; 4º D. Ricciardo, 12; 5º F. Massa, 10; 6º R. Grosjean, 8; 7º N. Hulkenberg, 6; 8º V. Bottas, 4; 9º C. Sainz, 2; 10º M. Verstappen, 1

Equipas – 1º Mercedes, 43 pontos; 2º Ferrari, 15; 3º Williams, 14; 4º Red Bull, 12; 5º Haas, 8; 6º Force India, 6; 7º Toro Rosso, 3

Próxima prova: GP Bahrain (1/3 de Abril)

O estado em que ficaram o Haas de Gutiérrez e o McLaren de Alonso

O estado em que ficaram o Haas de Gutiérrez e o McLaren de Alonso

HR

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s