Citroën DS4 1.6 BlueHDi 120 SoChic

O grito do Ipiranga

Citroën DS4 1.6 BlueHDi 120 SoChic (Fotos: Praia d'El Rey, Óbidos)

Citroën DS4 1.6 BlueHDi 120 SoChic (Fotos: Praia d’El Rey, Óbidos)

O último grito do DS 4, enquanto membro da família Citroën e antes de se libertar para sempre, foi dado quando a marca mãe lhe colocou debaixo do “capot” o novo motor 1.6 BlueHDi, cujos consumos minimalistas são a grande e mais recente bandeira da casa francesa. Com isso, o Citroën DS 4 ficou mais apelativo, em termos de gulodice. Não é que ele fosse guloso mas, assim, entrou na última tendência. O próximo, já não será Citroën, mas sim DS – e até poderá ter o mesmo motor, que nada voltará a ser como dantes. Mas, disso, falaremos a seu tempo…

A última vez que tinha andado com um Citroën DS4 foi em Dezembro de 2011, quando ensaiei a versão equipada com o motor 1.6 THP a gasolina de 200 cv. Uma recordação amarga, pois acabei apanhado a mais de 170 km/h numa auto-estrada, por um radar móvel colocado num… Suzuki Swift e isso valeu-me uma multa volumosa e a carta suspensa durante seis meses… Mas adiante!

O DS4 não recebeu alterações ao longo dos últimos anos

O DS4 não recebeu alterações ao longo dos últimos anos

O que quero dizer com isto é que, desde então, o Citroën DS4 pouco ou nada mudou, exterior e interiormente. As alterações estão previstas para o futuro DS 4 – o segundo DS da nova marca do universo Peugeot-Citroën, criada no Verão passado mas, até agora. somente refletidas no DS 5 (que, lá mais para Setembro, o AutoanDRIVE tem previsto ensaiar). Por isso, este DS4 agora ensaiada, apesar da DS existir como marca há um ano, ainda tem a nome Citroën na carroçaria, nomeadamente no portão traseiro. Por isso, tecnicamente ainda se trata de um Citroën DS4… E, também por isso, as alterações apenas dizem respeito ao motor colocado sob o “capot” – que é o novo bloco 1.6 BlueHDi, na sua versão de 120 cv – e a uma atualização no equipamento de série.

Mais sofisticado mas demasiado suave

Em comparação com o C4 o DS4 é muito jmais sofisticado

Em comparação com o C4 o DS4 é muito jmais sofisticado

Comparando-o com o C4, de que deriva, o DS4 é mais sofisticado. Assenta numa plataforma mais moderna e desportiva, mas tem uma altura ao solo superior e uma postura de condução mais elevadas, quase como um monovolume pequeno. A sua carroçaria tem uma estética mais refinada e específica, mas as duas portas traseiras apresentam, uma particularidade que é pouco apreciada – dado seu “design” subido ao longo das enormes cavas das rodas, resulta impossível abrir o vidro. Por causa disso, há quem considere tal característica como uma bizarria e penalize o DS4. O que não deixa de ser um manifesto exagero, pois as qualidades do DS4 são muitas mais que os seus defeitos.

O interior tem mais qualidade e agora também mais equipamento

O interior tem mais qualidade e agora também mais equipamento

À parte a sua estética mais desportiva e cativante, também o interior é mais sofisticado, com materiais mais nobres e melhor montados, embora a ergonomia e o espaço sejam semelhantes ao C4. A Citroën garante que os acabamentos do interior do DS4 demoram 15 horas a serem terminados… o que pode explicar muita da sua boa qualidade real. Esta versão SoChic trazia de série alguns mimos, como ar condicionado automático bi-zona; consola central elevada; luzes em LED diurnas e projetores de halogéneo; para-brisas panorâmico; câmara de ajuda ao estacionamento traseiro; bancos dianteiros com regulação elétrica e função de massagem; jantes em liga leve de 17 (ou 18) polegadas; travão de estacionamento elétrico; ou sistema áudio com Connecting BOX, kit mãos livres Bluetooth e sistema de navegação em ecrã multi-funções de 7”, entre outros. O que, tudo junto, acaba por justificar o preço acima dos 30 mil euros, que pode parecer algo inflacionado, mas acaba, seriamente, por estar ao nível da concorrência.

As jantes maiores e uma maior altura ao solo tornam o DS4 mais lento que o C4

As jantes maiores e uma maior altura ao solo tornam o DS4 mais lento que o C4

O motor 1.6 BlueHDi de 120 cv é novo, mas exatamente o mesmo que a Citroën tem colocado nas suas outras gamas, desde o 2008 aos 5008, sem esquecer o pequeno 208, o novo 308 e o topo 508… Ah, mas esta é outra história – também vai existir no novo DS 5, ex-Citroën, entenda-se! Este motor vem substituir o e-HDi de 115 cv (que experimentámos, já lá vão uns quatro anos, no DS4), mas tecnicamente é muito parecido, recebendo apenas melhorias que diminuem as fricções internas e está equipado com o sistema Start&Stop de série. É mais silencioso que o motor antigo e não tem vibrações, nem sequer a frio. Associado a uma transmissão manual de seis velocidades, mostra-se um bocado “mole” abaixo das 1.800 rpm, exigindo o recurso frequente à caixa, ou então não sai das curvas, “morrendo” um pouco. Apesar disso, o DS4 é agradável de conduzir, mas nesta versão falta-lhe um pouco da garra desportiva a que tem associada a sua imagem.

Debaixo do "capot" pulsa o novo motor BlueHDi de 1209 cv

Debaixo do “capot” pulsa o novo motor BlueHDi de 120 cv

Curiosamente, continuando a compará-lo com a equivalente versão do C4, o DS4 é mais lento em velocidade máxima (188 contra 197 km/h), em aceleração dos 0 aos 100 km/h (11,2 contra 10,6s) e, no que diz respeito a eficiência, é mais gastador (os números oficiais garantem 3,9 l/100 kms contra 3,6 l/100 kms) e emite mais CO2 (103 g/km contra 93 g/km). E, ainda mais curiosamente, conseguimos baixar os consumos dos 5 litros, coisa que não foi possível no C4…

A palavra Citroën no portão traseiro não deixa dúvidas quanto à marca

A palavra Citroën no portão traseiro não deixa dúvidas quanto à marca

Então, com estas prestações, um preço superior aos 30 mil euros (enquanto o C4 equivalente é cerca de 2.00 euros menos), onde está a vantagem deste “velho” DS4? Bom, apostamos que ela tem que estar numa imagem mais sofisticada e desportiva – mesmo que, com estes 120 cv debaixo do pé, neste particular ela tenha que ser um bocado, digamos, forçada… Seja como for, para Grito do Ipiranga, que liberta o DS4 das “garras” da Citroën, transformando-o em marca aberta e autónoma, não está mal.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

A grande vantagem do DS4 está na diferença

A grande vantagem do DS4 está na diferença

Motor: Diant. transv., 4 cil. em linha, 2 válvulas p./cilindro, 1 árvore de cames à cabeça, 1560 cc, turbo-Diesel, turbo-de geometria variável c./”intercooler”, inj.dir. múltipla “common rail”, 8 válvulas; Potência (cv/rpm): 120/3.500; Binário Máx. (Nm/rpm): 300/1.750; Vel. Máx. (km/h): 188; Acel. 0-100 km/h (s): 11,2; Consumos (l/100 km): 3,9; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 4,9; Emissões CO2 (g/km): 103; Preço (euros): 30.904,19

O Citroën DS4 1.6 BlueHDi 120 SoChic custa

O Citroën DS4 1.6 BlueHDi 120 SoChic custa 30.904 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos e Divulgação (Interiores)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s