Peugeot 5008 1.6 BlueHDi 120 Style

Uma pequena mudança

Peugeot 5008 1.6 BlueHDi 120 Style (Fotos: Estrada do Campo, Azambuja)

Peugeot 5008 1.6 BlueHDi 120 Style (Fotos: Estrada do Campo, Azambuja)

Tal como sucedeu com todas as suas gamas, a Peugeot atualizou o 5008. Deu-lhe uma frente mais ou menos nova, mas bastante mais interessante esteticamente e mais e melhor equipamento. No resto, manteve o que já era bom e referencial – espaço, boa qualidade interior, robustez e as mesmas motorizações. O AutoanDRIVE ensaiou a versão equipada com o motor 1.6 BlueHDi de 120 cv – a sua mais recente novidade.

Olhando para a nova Peugeot 5008, e comparando-a com a anterior, de 2010, as maiores diferenças surgem na frente. Novas entradas de ar, maiores, para-choques redesenhados e mais envolventes, novos grupos óticos, mais elegantes e estilizados, contribuem para um visual mais jovial e atrativo. Também a grelha é maior, mais de acordo com as recentes tendências estéticas da Peugeot. Depois, com a adoção de faróis full-LED, a assinatura luminosa faz o resto da diferença. No resto – perfil e traseira – pouco ou nada foi mudado. Mas, para sermos sinceros, já tínhamos falado de tudo isto – veja-se o link https://autoandrive.com/2014/04/09/peugeot-5008-1-6-hdi-115-cv-allure-7-lug/, onde foi tratada a ‘5008’. Agora, o tempo é para falar do motor 1.6 BlueHDi de 120 cv, recém introduzido na gama, a exemplo do que foi feito noutros produtos da marca do ‘leão’.

Disponível e económico

O motor 1.6 BlueHDi de 120 cv é a mais recente novidade na gama

O motor 1.6 BlueHDi de 120 cv é a mais recente novidade na gama

Construído de acordo com uma filosofia ao mesmo tempo eficiente e fiável, este bloco permite consumos baixos e uma disponibilidade saudável. Associado à caixa manual de seis velocidades, mostrou-se apto para todos os recursos e solicitações, muito embora, abaixo das 1.700 rpm, ou quando se enfrenta uma subida mais longa, perca alguma força, obrigando ao recurso mais frequente das relações mais baixas. Isso, se bem que não deva prejudicar em muitos os consumos – que, no nosso caso, se situaram em 5,3 l/100 km, excelente para esta volumetria de sete lugares e 1.565 kg de peso – retira um pouco da fluidez de rolamento.

O conforto de rolamento é excelente e suave

O conforto de rolamento é excelente e suave

E por falar neste, as suspensões reagem com suavidade às transferências de massa consecutivas, não adornando muito a carroçaria e permitindo mesmo alguma agilidade, igualmente surpreendente pelo tamanho do veículo. Pena que a direção pudesse ser um pouco mais informativa e menos leve, titubeando um pouco nas inserções em curva e levando para fora destas a frente em acelerações mais firmes. Mas, verdade seja dita, a 5008 não foi feita para correrias, mas sim para transportar confortavelmente toda a família – e, nisso, cumpre com denodo e rigor.

A versão ensaiada estava nivelada como Style em termos de equipamento

A versão ensaiada estava nivelada como Style em termos de equipamento

A versão ensaiada estava nivelada como Style, o que quer dizer que existiam algumas particularidades interessantes, como o tejadilho panorâmico em vidro com cortina elétrica, a câmara de marcha-atrás, ‘head-up display’ a cores, alerta de distância para o veículo da frente e de transposição involuntária de faixa e sistema de navegação integrado em ecrã tátil de 7”, onde todas as funcionalidades do veículo estão presentes de forma intuitiva e sem grandes exigências de procura. Basta tocar e, a partir daí, tudo se processa rapidamente e em segurança.

No habitáculo a qualidade é boa e há muito espaço disponível

No habitáculo a qualidade é boa e há muito espaço disponível

No habitáculo, a qualidade é boa, desde os materiais – que são macios e suaves ao toque – à sua montagem, sem folgas e pouco propícias a futuros ruídos parasitas, o que é de saudar num interior tão longo e em que, outrora, a existência da cobertura da bagageira era sinónimo de preocupações e de maçadas: agora, a sua solidez e melhor montagem faz acreditar numa maior fiabilidade e firmeza.

A modularidade interior é exemplar

A modularidade interior é exemplar

Finalmente, a modularidade do Peugeot 5008 é exemplar, permitindo o acesso à terceira fila de bancos de forma fácil e rápida, embora exija algum contorcionismo até se chegar aos dois bancos tarseiros, naturalmente mais pequenos e desconfortáveis que os outros… Já agora, a ‘5008’ é classe 1 nas portagens, o que é sempre de saudar.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

A 5008 paga Classe 1 nas portagens

A 5008 paga Classe 1 nas portagens

Motor: Diant. transv., 4 cil. em linha, 2 válvulas p./cilindro, 1 árvore de cames à cabeça, 1560 cc, turbo-Diesel, turbo-de geometria variável c./”intercooler”, inj.dir. múltipla “common rail”, 8 válvulas; Potência (cv/rpm): 120/3.500; Binário Máx. (Nm/rpm): 300/1.750; Vel. Máx. (km/h): 185; Acel. 0-100 km/h (s): 12,0; Consumos (l/100 km): 4,2; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 5,3; Emissões CO2 (g/km): 109; Preço (euros): 31.230

Esta versão da 5008 custa

Esta versão da 5008 custa 31.230 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos e Divulgação (Interiores)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s