Citroën C4 1.6 BlueHDi 120 Shine

Confortável mas muito discreto

Citroën C4 1.6 BlueHDi 120 Shine (Fotos: Praia Fluvial da Azambuja e Estrada do Campo)

Citroën C4 1.6 BlueHDi 120 Shine (Fotos: Praia Fluvial da Azambuja e Estrada do Campo)

A Citroën atualizou a gama C4, oferecendo-lhe alguns retoques de imagem, mais de acordo com as tendências mais recentes e, principalmente, dotando-o dos novos motores mais eficientes. Ensaiámos a versão 1.6 BlueHDi de 120 cv e descobrimos um C4 sempre confortável, económico, mas demasiado discreto. Apesar disso, bastante apetecível pela relação preço/qualidade/equipamento.

Fiel aos seus objetivos de atualizar toda a sua oferta, a Citroën decidiu retocar o seu C4. E foi mesmo retocar, pois aquilo que lhe fez foi dar-lhe uma aparência mais moderna, com a mais recente assinatura luminosa toda feita em LED – aquilo que habitualmente se chama pomposamente de tecnologia FullLED e em que a iluminação fica integralmente a cargo de luzes LED, tanto diurnas como noturnas, na frente e atrás (aqui com efeito 3D), com todos os benefícios que isso traz, em termos de segurança ativa. No resto, o C4 ficou igualzinho por fora. As jantes são agora em liga leve com 17”, pelo menos neste nível de equipamento.

Equipamento mais rico e tecnológico

As principais diferenças exteriores estão nas luzes Full LED

As principais diferenças exteriores estão nas luzes Full LED

É que as principais diferenças apenas são visíveis quando se abre a porta e nos sentamos por trás do volante. Desde logo, mais equipamento e, também ele, mais moderno e aberto a uma maior conectividade. Um bom exemplo disso mesmo encontra-se no grande écrã tátil de 7”, centrado mesmo a meio do painel de instrumentos e onde todas as funcionalidades e ajudas à condução estão disponíveis, desde a navegação, à climatização e ao sistema áudio, sem esquecer todas as hipóteses de ligação ao exterior permitidas pelos mais modernos e exigentes cânones atuais.

Atrás os faróis sãio também em LED com efeito 3D

Atrás os faróis sãio também em LED com efeito 3D

Atrás, o banco mantém a mesma funcionalidade e a bagageira continua com os seus referenciais 408 litros de volume. Além disso, o espaço não sofreu alterações, seja na frente seja atrás e a ergonomia, de uma forma geral, continua bem conseguida. Por outro lado, através do uso de novos materiais, mais robustos, incrementou-se a qualidade, que deixou de ser apenas percetível, para passar a ser bem mais real. As ajudas à condução incluem agora a assistência aos arranques em subida, a chave mãos livres, o controlo de tração inteligente e o sistema de alerta e vigilância de ângulo morto. Além disso, existem agora sensores de estacionamento dianteiros e traseiros.

Debaixo do capot estão alguns motores novos como este 1.6 BlueHDi de 120 cv

Debaixo do capot estão alguns motores novos como este 1.6 BlueHDi de 120 cv

Debaixo do “capot”, alojam-se alguns motores novos, a começar pelo eficiente e económico bloco de 4 cilindros 1.6 BlueHDi, com 120 cv – e que foi aquele que ensaiámos. Associado a uma caixa manual de seis velocidades, estas apresentavam-se um pouco longas, exigindo frequente recurso às relações mais baixas, como 3ª e 4ª, mesmo no trânsito fluido ou em percursos sinuosos, o que se refletiu nos consumos, a rondar os 5 l/100 km.

O comportamento em estrada é bom mas...

O comportamento em estrada é bom mas…

Em estrada, o novo Citroën C4 revela um bom comportamento em curva, mas o trem rolante continua a padecer de uma certa “fragilidade” em curvas com piso menos bom, especialmente na frente. Enfim, reflexo de estar ainda a usar a plataforma antiga e não a base mais recente… Apesar disso, o C4 exibe um conforto de rolamento notável, sem ruídos do motor ou aerodinâmicos.

... É principalmente muito confortável

… É principalmente muito confortável

Contudo, apesar de todos estes atributos, que melhoram de forma significativa o conjunto, o C4 continua a ser algo demasiado discreto. Esteticamente e não só (veja-se, por exemplo, o trem rolante, mais moderno e desportivo no DS4). Na verdade, o C4 continua a viver na sombra do seu “irmão” DS4, apesar de ser correto dizer-se que o público de um não é, de forma nenhuma, o do outro… Porém, um pouco mais de proximidade, em especial em termos tecnológicos (chassis e ligações ao solo) não fazia mal a nenhum deles – além de favorecer o comportamento do C4, que deixava de ser um automóvel “apenas” muito confortável, para ser um automóvel muito confortável e bem mais entusiasmante. E, repetimo-lo, isso não iria roubar público ao DS4, pois estamos perante dois conceitos diferentes, em termos de estética pura. E, claro, com o seu público próprio.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Apesar das suas qualidades o C4 continua a ser demasiado discreto

Apesar das suas qualidades o C4 continua a ser demasiado discreto

Motor: Diant. transv., 4 cil. em linha, 2 válvulas p./cilindro, 1 árvore de cames à cabeça, 1560 cc, turbo-Diesel, turbo-de geometria variável c./”intercooler”, inj.dir. múltipla “common rail”, 8 válvulas; Potência (cv/rpm): 120/3.500; Binário Máx. (Nm/rpm): 300/1.750; Vel. Máx. (km/h): 197; Acel. 0-100 km/h (s): 10,6; Consumos (l/100 km): 3,6; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 5,1; Emissões CO2 (g/km): 93; Preço (euros): 28.308,30

O C4 1.6 BlueHDi 120 Shine custa

O C4 1.6 BlueHDi 120 Shine custa 28.308,30 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s