Citroën C4 Cactus 1.2 PureTech 82 Feel vs Citroën C4 Cactus 1.6 BlueHDi 100 Midnight

Afinal existem outros

Citroën C4 Cactus 1.6 BlueHDi 100 Midnight

Citroën C4 Cactus 1.6 BlueHDi 100 Midnight

Afinal existem outros: além do equipado com a caixa de velocidades pilotada (pelas letrinhas D, N e R) e motor 1.6 HDi de 92 cv, há mais dois Citroën C4 Cactus quase idênticos: o 1.6 HDi 100 e o 1.2 VTi 82. Vamos a eles… e vamos perceber qual é a melhor opção: Diesel ou gasolina?

Quando o AutoanDRIVE ensaiou, pela primeira vez, um Citroën C4 Catus (https://autoandrive.com/2014/07/29/citroen-c4-cactus-1-6-e-hdi-90-etg6-feel-edition/) ficou surpreendido com a ousadia e capacidade de, com menos, oferecer mais. Depressa se perceber que este Catus, um projeto arrojado e diferente de todos os outros, era bem mais que mais um modelo da geração “low cost”. Claro, tem os seus defeitos; mas estes acabam por ser ofuscados pelo bem que faz olhar para os riscos que comportam uma assinatura estética tipo – ou se ama, ou se detesta.

Citroën C4 Cactus 1.2 PureTech 82 Feel

Citroën C4 Cactus 1.2 PureTech 82 Feel

E, pelo que nos é dado ver, todos os dias, no trânsito, parece que mais se ama do que se detesta o Cactus. Aliás, não deixa de ser curioso que o primeiro Cactus que vimos na estrada, dias depois de ele ter sido lançado, era ocupado por um casal de meia díade… talvez o “target” mais improvável para um carro de aspeto pouco menos que futurista e, senão jovem, pelo menos jovial. Com o 1.2 PureTech a gasolina, de 82 cv e o novo 1.6 BlueHDI, de 100 cv, descubra onde estão mais alguns dos argumentos que parecem ter convencido gregos e troianos.

Diesel ou gasolina?

Será que compensa optar por um motor turbo-Diesel como o BlueHDi de 100 cv?

Será que compensa optar por um motor turbo-Diesel como o BlueHDi de 100 cv?

A eterna questão… Contudo, cada vez mais, nestes tempos em que é politicamente correto ser-se amigo do ambiente, os motores a gasolina assumem um papel preponderante. Conscientes disso, as marcas automóveis têm apostado em motores de pequeno porte, mas que, animados por tecnologia recente e pequenos turbos, debitam potências que, até não muito tempo, somente eram possíveis em blocos de elevada cilindrada.

O C4 Cactus 1.2 PureTech tem um motor de 3 cilindrios a gasolina com 82 cv

O C4 Cactus 1.2 PureTech tem um motor de 3 cilindros a gasolina com 82 cv

No C4 Catus, a intenção não esta – ter muita potência com pouca cilindrada. É, porém, manifesto que a Citroën aproveitou o que de melhor os seus pequenos motores a gasolina possuem, para os tornar cada vez mais amigos do ambiente e, ao mesmo tempo, oferecer-lhes argumentos que os levem a lutar contra os turbo-Diesel que desde há muito têm sido uma “mania” no nosso mercado. Este 1.2 PureTech, com 82 cv, é um bom exemplo.

O C4 Cactus 1.6 Blue HDi tem um motor turbo-Diesel com 100 cv

O C4 Cactus 1.6 Blue HDi tem um motor turbo-Diesel com 100 cv

Em paralelo, a Citroën foi buscar o motor 1.6 HDi e transformou-o, com a sua mais recente tecnologia “verde”, num BlueHDi, aumentando-lhe a potência para a centena de cavalos. Basicamente, embora derivados do VTi e do e-HDi, estes dois são novos motores. O 1.2 PureTech é um três cilindros de 12 válvulas e o BlueHDi um quatro cilindros tradicional, mais tradicional, apenas com duas válvulas por cilindro.

Ambas as propostas têm sistema "start & stop"...

Ambas as propostas têm sistema “start & stop”…

Ambas as propostas têm o sistema “start & stop”, que funciona quando o C4 Catus está parado no trânsito, reduzindo os consumos e as emissões poluentes. Porém, verificámos que os consumos não são muito distantes – 5,8 l/100 no 1.2, 5,1 l/100 nos BlueHDi. Estão, isso sim, longe dos valores anunciados pela marca, o que é normal e acontece sempre e em qualquer marca de automóveis. O conforto de funcionamento (ruído no habitáculo, trepidação a frio,…) é semelhante e, no caso do 1.2 a gasolina, vem ao de cima o seu caráter tri-cilíndrico, algo asmático quando em aceleração, mas menos que noutros casos mais antigos.

... O conforto a bordo e desempenho dinâmico são também idênticos

… O conforto a bordo e desempenho dinâmico são também idênticos

O desempenho é também semelhante, embora no BlueHDi se notem os mais 18 cavalos disponíveis. Porém, o motor é menos “redondo” e agradável de utilizar. As recuperações são fáceis e o recurso às relações mais baixas da caixa de velocidades (já agora, também semelhante, uma unidade de cinco relações, manual) é residual, sendo de desejar somente nos momentos mais intensos, como ultrapassagens ou percursos mais empenhativos, onde as suspensões mantêm o C4 Cactus seguro na estrada, apesar da uma certa tendência em fugir de frente. A carroçaria adorna um pouco, a ritmos mais elevados, mas nada de grave. E já que se fala na frente, esta mostra-se um pouco frágil e imprecisa em locais mais degradados, talvez porque a direção, apesar de informativa, é por vezes demasiado leve.

Este  C4 Catus 1.2 PureTech tinha menos equipamento que o BlueHDi

Este C4 Catus 1.2 PureTech tinha menos equipamento que o BlueHDi

No entanto, e apesar destas semelhanças dinâmicas – e, claro, de estilo e versatilidade – onde está a justificação para os 7.000 euros de diferença no preço das duas versões? Principalmente, no equipamento – o 1.2 era mais básico, o que se notava nos acabamentos e nos plásticos utilizados (por exemplo, no porta-luvas). O BlueHDi estava mais no topo de gama neste nível, mais cuidado e melhor equipado – embora, quer o 1.2 PureTech, quer o 1.6 BlueHDi tivessem câmara de marcha-atrás, ar condicionado automático e jantes em liga leve de 17”.

A diferença entre as duas versões é de longínquos 7.000 euros

A diferença entre as duas versões é de longínquos 7.000 euros

Porém, isso não é tudo – e fica a eterna pergunta: será que compensa, hoje em dia, optar por um motor turbo-Diesel? A crer no diferencial destas duas propostas, certamente que não… A não ser que ande quase uma dezena de milhares de quilómetros por mês. E, mesmo assim, vai precisar de uma meia dúzia de anos até o conseguir!

CARATERÍSTICAS TÉCNICAS

C4 Cactus 1.2 PureTechi 82 Feel

O C4 Cactus 1.2 PureTech 82 Feel custa

O C4 Cactus 1.2 PureTech 82 Feel custa 16.937 euros

Motor: Diant. transv., 3 cil. em linha, 1.199 cc, 4 válvulas p./cilindro, 2 árvores de cames à cabeça, 12 v, injeçãoi indireta de gasolina, S&S; Potência (cv/rpm): 82/5.750; Binário Máx. (Nm/rpm): 118/2.750; Vel. Máx. (km/h): 169; Acel. 0-100 km/h (s): 12,9; Consumos (l/100 km): 4,6; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 5,8; Emissões CO2 (g/km): 107; Preço (euros): 16.937

C4 Cactus 1.6 BlueHDI 100 Midnight

O C4 Catus 1.6 BlueHDi 100 Midnight [Shine Edition] custa

O C4 Catus 1.6 BlueHDi 100 Midnight [Shine Edition] custa 23.919 euros

Motor: Diant. transv., 4 cil. em linha, 1.560 cc, 2 válvulas p./cilindro, 1 árvore de cames à cabeça, 8 v, injeçãoi direta p./”common rail”, turbo c./”intercooler”, S&S; Potência (cv/rpm): 99/3.500; Binário Máx. (Nm/rpm): 254/1.750; Vel. Máx. (km/h): 184; Acel. 0-100 km/h (s): 10,7; Consumos (l/100 km): 3,4; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 5,1; Emissões CO2 (g/km): 87; Preço (euros): 23.919 [Shine Edition]

Mesmo com menos equipamento a balança do preço pende muito para os lados do 1.2

Mesmo com menos equipamento a balança do preço pende para os lados do 1.2

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos e Divulgação (Interiores)

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s