Peugeot 508 Berlina 1.6 e-HDi 115 Active

Entrar com o pé direito

Peugeot 508 Berlina 1.6 e-HDi 115 Active (Fotos: Ponte de Reguengo)

Peugeot 508 Berlina 1.6 e-HDi 115 Active (Fotos: Ponte de Reguengo)

O Peugeot 508 Berlina 1.6 HDi 115 Active é uma boa forma de entrar com o pé direito. É (quase, há uma versão com menos equipamento de série, designada, apropriadamente convenhamos, Access) o mais barato e o menos potente, mas também gera um equilíbrio salutar e gasta tão pouco que se pode ir e vir a Madrid só com um depósito de combustível. Que, já agora, é gasóleo. Por outro lado, sempre se pode acrescentar que o conforto e a qualidade a bordo imperam. Só para que conste, não vá apanhar alguém, obsessivo amante de máquinas germânicas, mais distraído…

Bom, na verdade esta versão é como que uma espécie de canto do cisne – tem uma caixa manual de seis velocidades (em vez da de cinco) e existe enquanto não chega o 508 com o motor BlueHDi de 120 cv. Mas, apesar disso, não desilude ninguém.

Sempre a rolar

O Peugeot 508 Berlina 1.6 e-HDi de 115 cv é um bom companheiro de viagem

O Peugeot 508 Berlina 1.6 e-HDi de 115 cv é um bom companheiro de viagem

O AutoanDRIVE já ensaiou a versão SW com as mesmas especificações técnicas há uns meses atrás (https://autoandrive.com/2014/06/14/peugeot-508sw-1-6-e-hdi-115-business-line-pack/) e, na realidade, tudo aquilo que foi dito, em relação a conforto de rolamento, conforto abordo, qualidade percetível e imagem estatutária, aplica-se na perfeição à Berlina.

O 508 Berlina esa mais elegante na traseira com novo pára-choques e grupos óticos

O 508 Berlina tem uma traseira com novo pára-choques e grupos óticos

Basicamente, a grande diferença está numa nova filosofia de ”design” e no nível de equipamento. É que, entretanto, a gama 508 recebeu os últimos retoques em termos de visual, nomeadamente na frente, onde pontuam agora a bonita grelha trapezoidal de quatro barras cromadas, mais vertical e com o leão, símbolo da marca, bem ao centro, bem como novos grupos óticos, com uma assinatura luminosa em LED mais estilizada – que se revê no também novo para-choques inferior, mais envolvente e em plástico negro e integrando os faróis de nevoeiro. Também o “capot” está diferente, mais horizontal, contribuindo para um todo mais elegante e fluido.

A frente tem uma nova grelha com o símbolo da marca ao centro

A frente tem uma nova grelha com o símbolo da marca ao centro

No resto, o perfil continua semelhante, mas a Peugeot com seguiu melhorar a parte traseira, através de novos grupos óticos com três garras luminosas e igualmente com assinatura em LED, de um novo contorno das cavas das rodas – fruto de um para-choques redesenhado – e de um difusor traseiro negro, com elementos cromados rodeando dois faróis refletores. Além disso, esta unidade ostentava bonitas jantes em liga leve de 17” com um “design” específico.

O interior tem o requinte de um topo de gama

O interior tem o requinte de um topo de gama

O interior continua a prolongar um estatuto topo de gama, com atenção especial em detalhes como o painel de bordo mais apurado, bem como a inserção de frisos cromados e a utilização de materiais mais requintados e bem montados, onde pontifica o bom gosto da escolha do preto acetinado como “leit motiv” decorativo.

O espaço é generoso tanto na frente com atrás

O espaço é generoso tanto na frente com atrás

O espaço é generoso, tanto na frente como atrás, para que os cinco passageiros possam viajar com todo o conforto, sendo para isso brindados com um equipamento muito completo, mesmo neste nível médio, o Active e onde se destacam, para lá do novo ecrã tátil de 7” (com Bleutooth e USB) e do “head up display” a cores, o ar condicionado automático bizona, “Hill assist”, ajuda ao estacionamento traseiro, ABS e ESP, sistema de navegação e o pack Visibilidade. Por outro lado, existem vários espaços de arrumação, como um compartimento na consola central, o porta-luvas ventilado com ar fresco, dois porta-copos na frente e atrás, um compartimento sob o apoio de braços dianteiro e ainda espaços para arrumação de garrafas nos painéis das portas.

A bagageira tem, claro, uma configuração diferente da SW, balizada pela porta de abertura vertical, mas sem ser demasiado funda e tendo um fundo plano – sob o qual existem ainda mais 48 litros de volume extra. E por falar neste, na Berlina a capacidade é de 545 litros – que podem estender-se até aos 1.581, com o rebatimento total das costas dos bancos traseiros.

O 508 Berlina 1.6 HDi 115 Active é uma boa entrada na gama

O 508 Berlina 1.6 HDi 115 Active é uma boa entrada na gama

Na estrada, a Berlina confirma o caráter rolante da gama 508, mesmo nesta versão com o motor 1.6 e-HDi de 115 cv. Que, associado a uma caixa manual de seis velocidades, permite viajar sem qualquer “stress” – ou seja, sem o recurso constante à mesma, para efetuar manobras como ultrapassagens. E nem o facto de ser uma Berlina de grandes dimensões influencia de forma percetível o comportamento em estrada – nas partes mais sinuosas, o rolamento da carroçaria é mínimo e o chassis (com as suas ligações ao solo tradicionais, mas firmes) digere bem as transferências de massa, sem tendência em fugir demasiado de frente em curvas mais apertadas. Por outro lado, a direção, sem ser pesada, informa bem o condutor e não é demasiado sensível nas irregularidades do caminho.

O consumo deste motor é frugal e dá para quase 1.400 km

O consumo deste motor é frugal e dá para quase 1.400 km

Bom, mas há ainda melhor: a Peugeot anuncia consumos na ordem dos 4,2 l/100 km – coisa que nunca atingimos, como é bom de ver… Mesmo assim, andamos muito perto dos 5.5 litros – o que, de acordo com o computador de bordo, dava uma autonomia de quase 1.400 quilómetros. O suficiente para irmos e virmos a Madrid, sem parar numa bomba de combustível…

CARATERÍSTICAS TÉCNICAS

A bagageira tem um volume de quase 600 litros e muita arrumação

A bagageira tem um volume de quase 600 litros e muita arrumação

Motor: Diant. transv., quatro cilindros em linha, 8 válvulas, 1560 cc, turbo-Diesel de geometria variável, inj.direta c./“common rail”, “intercooler” e filtro de partículas; Potência (cv/rpm): 114/3.600; Binário Máx. (Nm/rpm): 285/1.750 – 2.000; Vel. Máx (km/h): 200; Acel. 0-100 km/h (s):12,4; Consumos (l/100 km): 4,2; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 5,7; Emissões CO2 (g/km): 111; Preço (euros): 32.427

O Peugeot 508 Berlina 1.6 e-HDi 115 Active custa

O Peugeot 508 Berlina 1.6 e-HDi 115 Active custa 32.427 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos e Divulgação (Interiores)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s