Os pilotos que não teriam entrado na F1

As novas regras de acesso são mais restritivas

Jean-Éric Vergne não teria ido para a F1 com as novas regras

Jean-Éric Vergne não teria ido para a F1 com as novas regras

As novas regras de acesso à F1 são mais restritivas e, se tivessem entrado em vigor há mais tempo, teriam, impedido alguns dos que hoje são dos mais promissores pilotos de terem entrado nessa altura. Um bom exemplo disso é Daniel Ricciardo – e até Michael Schumacher teria encontrado dificuldades em regressar à F1, quando voltou, com a Mercedes, em 2010. Mas veja quais, nos últimos anos, não teriam conseguido entrar na F1.

2014Marcus Ericsson tinha apenas 14 pontos (as novas regras impõem um mínimo de 40) nas três temporadas anteriores, com o 6º lugar na GP2, em 2013, como melhor resultado. Will Stevens, que fez uma corrida com a Caterham, teve apenas 15 pontos, em três temporadas na FR 3.5 V6

2013Giedo van der Garde acumulou 24 pontos em três anos na GP2, com o melhor a ser o 5º lugar em 2011. Max Chilton foi 4º na GP2 em 2012, o que lhe deu 20 pontos, mas não teve nada nos dois anos anteriores.

2012Jean-Éric Vergne foi Campeão na F3 britânica (2010) e lutou pelos títulos de FR 2.0 e FR 2.0 Eurocup (2009) e FR 3.5 V6 (2011), o que apenas lhe valeu 33 pontos. Charles Pic foi 4º na GP2 (2011) e 3º na FR 3.5 V6 (2009), fazendo um total de 37 pontos. Paul di Resta nem sequer teve qualquer ponto, pois correr no DTM não tem relevância para a FIA e, por isso, não “dá” pontos para a F1. Mesmo que se consiga ser campeão, como sucedeu com o escocês, em 2010.

2011 – Apesar de ter ganho o título britânico de F3 em 2009 e de ter lutado pelo de FR 3.5 V6 no ano seguinte, Daniel Ricciardo não teria pontos suficientes para se estrear com a HRT, em 2011 ou, sequer, com a Toro Rosso, no ano seguinte. Jérôme d’Ambrosio só fez três pontos, com o seu n9º lugar na GP2, em 2009.

2010Karun Chandhok apenas colheu dois pontos com o seu 10º lugar na GP2 em 2008. Michael Schumacher teria sido impedido de voltar à F1 porque esteve parado durante quatro anos e a FIA exige resultados nos três anos anteriores. O mesmo seria válido para… Sakon Yamamoto e pelos mesmos motivos! Já Kimi Raikkonen, que regressou à F1 em 2012, safar-se-ia à justa, pois a sua última temporada na F1 tinha sido a de 2009… três anos antes!

Por sua vez, Kevin Magnussen e Daniil Kvyat fizeram justamente 40 pontos antes de chegarem à F1, com o russo a garantir os que faltavam com um par de bons resultados na FR 2.0, pois o título de GP3 valeu-lhe apenas 30.

Max Verstappen teria sido duplamente barrado – não somente porque ainda não tinha feito os 18 anos, com os seus resultados lhe davam 20 pontos, metade do necessário… Curiosamente, dos três estreantes este ano, apenas Felipe Nasr teria pontos para subir à F1, 52 nos seus três anos de GP2, mesmo se nunca conquistou o título. E o de Carlos Sainz na FR 3.5 V6 teria sido insuficiente, pois o espanhol não teve bons resultados nos dois anos anterires.

HR

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s