Citroën C4 1.2 THP Puretech 130 Collection

O último fôlego

Citroën C4 1.2 THP 130 Puretech Collection

Citroën C4 1.2 THP 130 Puretech Collection

Em fim de vida – a próxima geração chega já no primeiro semestre de 2015 – o atual Citroën C4, que resiste desde 2010 praticamente sem ser mexido, recebeu um importante argumento: o motor 1.2 THP a gasolina, de 130 cv. Pode parecer heresia para quem “goste” mais dos motores turbo-Diesel, mas este é um dos melhores e mais modernos blocos “a gasolina” existentes no mercado e, com ele, o C4 ganhou uma alma nova. Uma pena que certamente isso não venha a ser apreciado pelos nossos automobilistas, sempre demasiado crentes em aceitar as benesses do gasóleo – que, embora o não saibam (ou não queriam saber…), se resume e apenas uma: ser mais barato.

Queira-se ou não, o futuro é o seguinte: motores a gasolina de pequena cilindrada, muita potência e consumos abaixo da média, bem como menores emissões poluentes. Atenta a isso – tal como outras marcas, casos da Ford, Renault, VW, Audi, Peugeot (claro…), por exemplo – a Citroën deitou cá para fora o bloco 1.2 TGHP, aqui declinado em 130 cv de potência.

O C4 1.2 THP 130 é um carro interessante de conduzir graças ao seu motor

O C4 1.2 THP 130 é um carro interessante de conduzir graças ao seu motor

O resultado é um motor de exceção, sempre disponível, equilibrado e muito eficaz, apesar de ser um “três cilindros” (mal se nota, tal a suavidade de funcionamento e as capacidades de recuperação, desde regimes bem baixos) e um multiválvulas (quatro por cilindro, mas sem a dependência dos altos regimes dos blocos mais antigos desta expressão “duas de admissão, duas de escape”). Além disso, este 1.2 THP possui um binário para lá do razoável num motor deste calibre (230 Nm) que, pasme-se, se expressa em força logo a partir das 1.750 rpm.

Este motor é o último fôlego de um modelo que já tem quatro anos

Este motor é o último fôlego de um modelo que já tem quatro anos

Aninhado por baixo do “capot” do Citroën C4 lançado já lá vão uns quatro anos – e prestes a dar lugar a uma geração maios moderna, em termos de estilo – oferece-lhe um último fôlego, tornando-o legítimo concorrente das atuais propostas turbo-Diesel, apesar do preço superior da gasolina. É que, associado a uma caixa de velocidades manual em que as seis relações surgem bem escalonadas, conseguem-se consumos deveras interessantes, na ordem dos 6,5 l/100 km. e dentro do que outros motores, com potências semelhantes, já oferecem.

O bloco 1.2 THP é a gasolina e está sempre disponível desde baixos regimes

O bloco 1.2 THP é a gasolina e está sempre disponível desde baixos regimes

Além disso, este motor é, já o dissemos, muito suave no seu funcionamento, sempre disponível e prazeiroso, sem vibrações ou ruídos parasitas tão típicos de anteriores gerações de blocos tri-cilíndricos. O que, num chassis também equilibrado – embora sem a passada desportiva de um DS4 – resulta em viagens quase divertidas, em que as transferências de massas são também quase ágeis – e, no mínimo, seguras e rápidas. O único “problema” é a travagem menos ágil, com o curso do pedal demasiado longo ou esponjoso.

O C4 é um automóvel familiar e espaçoso

O C4 é um automóvel familiar e espaçoso

Seja como for, o C4 1.2 THP continua um automóvel familiar, confortável, com bom espaço interior e um equipamento de série bastante completo. Aliás, neste item a Citroën catalogou-o como Collection, que mais não é que outra expressão do nível Attraction, o médio da gama. E que, por menos de 21.000 euros (entre 3.000 e 5.000 menos que propostas semelhantes da marca francesa com motores HDi), inclui “coisas” como ar condicionado automático bi-zona com funão REST, luzes diurnas dianteiras, rádio RD5 MP3 com seis altifalantes, Connecting Box e comandos no volante, ajuda ao estacionamento, sensores dianteiros e traseiros, sistema de vigilância de ângulo morto, Citroën eTouch, frisos dos vidros cromados, seis “airbags”, painel de bordo com informação analógica e cores personalizáveis, consola central mais elevada com apoio para o braço, jantes liga leve 16”, sons polifónicos personalizáveis, entre outras.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Os consumos são dentro da média neste tipo de motores, 6,5 l/100 km

Os consumos são dentro da média neste tipo de motores, 6,5 l/100 km

Motor: Diant. transv., 3 cil. em linha, 1.199 cc, turbo c./”intercooler”, inj.direta de gasolina, 2 árvores de cames à cabeça, 4 válvulas por cilindro, 12 válvulas; Potência (cv/rpm): 131/5.500; Binário Máx. (Nm/rpm): 230/1.750; Vel. Máx. (km/h): 199; Acel. 0-100 km/h (s): 10,8; Consumos (l/100 km): 4,9; Consumos AutoanDRIVE (l/100 km): 6,7; Emissões CO2 (g/km): 114; Preço (euros): 20.898

O C4 1.2 THP 130 Collection custa menos de 21 mil euros

O C4 1.2 THP 130 Collection custa menos de 21 mil euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: Divulgação

Anúncios

One response to “Citroën C4 1.2 THP Puretech 130 Collection

  1. Pingback: Citroën C4 Picasso 1.2 THP 130 Intensive | AutoanDRIVE·

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s