Lewis Hamilton bateu Nico Rosberg em Monza

Primeiro pódio de Felipe Massa na Williams

Rosberg e Hamilton como dois bons amigos em pleno pódio de Monza...

Rosberg e Hamilton como dois bons amigos em pleno pódio de Monza…

Lewis Hamilton bateu, no “braço”, o seu rival Nico Rosberg, no GP de Itália, que venceu de forma categórica, assumindo a liderança após o segundo erro do alemão, na travagem para a primeira chicane, parecendo estar com problemas em gerir a pressão. Depois de chegar ao comando, Hamilton limitou-se a gerir os acontecimentos, subindo ao lugar mas alto do pódio pela 28ª vez na sua carreira e diminuindo em sete pontos a sua desvantagem para Rosberg, que é agora de 22, quando faltam ainda seis provas para terminar a temporada. Temos campeonato até ao final!

Mas este GP de Itália, se ficou marcado por excitantes duelos roda com roda, entre diversos pilotos, em especial um grupo que integrou, em momentos diversos, Valtteri Bottas, Jenson Button, Sérgio Pérez, Kevin Magnussen e, enfim, Kimi Raikkonen, ficou também marcado por penalizações controversas, que dizem bem do que é hoje a F1.

Felipe Massa conquistou o seu primeiro pódio com  Williams

Felipe Massa conquistou o seu primeiro pódio com Williams

Na verdade, numa modalidade que quer ser o suprassumo da competição pura e dura, direta e para homens de barba rija, porquê penalizar um piloto que “empurra” outro para a escapatória, no calor de uma discussão mais acesa, no que é nitidamente um singelo incidente de corrida, sem intenções obscuras? Para quê “investigar” quando um piloto faz uma reta lado a lado com outro, na aproximação e disputa de uma travagem? Decisões escusadas, estúpidas, que estão a matar o interesse na F1 e que só se justificam pela ganância derivada das audiências televisivas e das “exigências” dos tempos de antena. O prolema é que, desta forma, só poderão estar a matar a galinha dos ovos de ouro. Felizmente, Bernie Ecclestone já vai a caminho dos 84 anos…

Uma das muitas lutas da corrida, esta entre Ricciardo e Raikkonen

Uma das muitas lutas da corrida, esta entre Ricciardo e Raikkonen

Mas adiante… Em Monza assistiu-se, portanto, a um dos mais disputados GP do ano, com lutas acesas, em vários períodos da corrida e por diversas posições, logo para lá do pódio. À distância, pelo comando, com Hamilton, que tinha a “pole “ mas falhou o arranque, caindo para 4º, a perseguir tenazmente o objetivo de desfeitear Rosberg, que assumiu a liderança logo no momento da largada. Este duelo terminou quando o alemão seguiu em frente na primeira chicane, pouco depois de metade da prova, permitindo que Hamilton atingisse o comando. O pódio ficou completo por Felipe Massa que, pela primeira vez na Williams, subiu àquele lugar, no que foi também o seu primeiro pódio em mais de um ano, quando estava ainda na Ferrari.

Mais atrás, pela quarta posição, a luta envolveu vários pilotos e acabou ganha por Valtteri Bottas, que teve que suar para conseguir bater Pérez, Button, Magnussen e Raikkonen, que ganhou alma depois do abandono do seu colega Fernando Alonso, numa altura em que ainda não estava dentro dos pontos, o que poderia interromper (e logo em “casa”…) a sequência de 80 GP seguidos da Ferrari sempre a pontuar.

E breve mas intenso duelo que envolveu os dois homens da Red Bull, que foi ganho por Daniel Ricciardo, após uma excelente ultrapassagem ao seu colega Sebastian Vettel, na luta pelo quinto lugar diz bem também da rivalidade, mas esta sadia, que vai no seio da equipa.

Kevin Magnussen sofreu uma penalização injusta mas terminou nos pontos

Kevin Magnussen sofreu uma penalização injusta mas terminou nos pontos

Kevin Magnussen, muito assertivo sempre ao longo da corrida, terminou em sétimo, mas sofreu depois uma penalização de cinco segundos, por ter “empurrado” Bottas (que duvidou mais tarde da justeza do “castigo”…) ligeiramente para fora da pista, na escapatória de uma chicane. O dinamarquês acabou por terminar em 10º lugar, posição que deveria ter ficado nas mãos de Daniil Kvyat, também muito combativo em Monza, não tivesse o russo falhado a travagem para a “famosa” primeira chicane, na última volta, conseguindo controlar o Toro Rosso, à boa maneira dos pilotos de ralis, sem tocar nos “rails”, mas caindo uma posição. Robert Kubica, agora no WRC, que se cuide…

Fernando Alonso desistiu pela primeira vez desde 2010, com problemas mecânicos, quando estava em luta por uma posição que, segundo ele, poderia ser o quinto lugar, se tivesse chegado ao fim da corrida.

CLASSIFICAÇÕES

Daniil Kvyat perdeu o 10º lugar na última volta

Daniil Kvyat perdeu o 10º lugar na última volta

Corrida: Lewis Hamilton (Mercedes), 53 voltas em 1h19m10,236s; Nico Rosberg (Mercedes), a 3,175 s; Felipe Massa (Williams/Mercedes), a 25,026 s; Valtteri Bottas (Williams-Mercedes), a 40,786 s; Daniel Ricciardo (Red Bull/Renault), a 50,309 s; Sebastian Vettel (Red Bull/Renault), a 59,965 s; Sérgio Pérez (Force India/Mercedes), a 1m02,518 s; Jenson Button (McLaren/Mercedes), a 1m03,063 s; Kimi Räikkönen (Ferrari), a 1m03,535 s; 10º Kevin Magnussen (McLaren/Mercedes), a 1m06,171 s; 11º Daniil Kvyat (Toro Rosso/Renault), a 1m11,184 s; 12º Nico Hulkenberg (Force India/Mercedes), a 1m12,606 s; 13º Jean-Eric Vergne (Toro Rosso/Renault), a 1m13,093 s; 14º Pastor Maldonado (Lotus/Renault), a 1 v.; 15º Adrian Sutil (Sauber/Ferrari), a 1 v.; 16º Romain Grosjean (Lotus/Renault), a 1 v.; 17º Kamui Kobayashi (Caterham/Renault), a 1 v.; 18º Jules Bianchi (Marussia-Ferrari), a 1 v.; 19º Estebán Gutiérrez (Sauber/Ferrari), a 2 v.; 20º Marcus Ericsson (Caterham/Renault), a 2 v.

CAMPEONATOS

Pilotos: Rosberg, 238 pontos; Hamilton, 216; Ricciardo, 166, Bottas, 122; Alonso, 121; Vettel, 106; Button, 72; 8º Hulkenberg, 70; Massa, 55; 10º Raikkonen, 41; 11º Pérez, 39; 12º Magnussen, 38;13º Vergne, 11; 14º Grosjean, 8; 15º Kvyat, 8; 16º Bianchi, 2
Construtores: Mercedes, 454 pontos; Red Bull/Renault, 272; Williams/Mercedes, 177; Ferrari, 162; McLaren/Mercedes, 110; Force India/Mercedes, 109; Toro Rosso/Renault, 19; Lotus/Renault, 8; Marussia/Ferrari, 2

 Próxima prova: GP Singapura, 19 a 21 de Setembro

Fernando Alonso desistiu pela primeira vez desde 2010 com problemas mecânicos

Fernando Alonso desistiu pela primeira vez desde 2010 com problemas mecânicos

HR

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s