Peugeot 508 SW 2.0 BlueHDi 180 cv Allure

A escolha emocional

Peugeot 508 SW 2.0 BlueHDi 180 cv Allure (Foto: Santuário de Nossa Senhora do Almurtão, Idanha-a-Nova)

Peugeot 508 SW 2.0 BlueHDi 180 cv Allure (Foto: Santuário de Nossa Senhora do Almurtão, Idanha-a-Nova)

Sim, emocional – mas não em demasia. Emocional, porque o número “180” merece alguma atenção. Mas, afinal, ele é retirado de um motor maior, onde a bondade está a na associação a uma caixa automática de seis velocidades e à junção da moderna tecnologia BlueHDI, que permitem consumos na ordem dos 6,5 l/100 kms. O que é de saudar, embora sem grandes euforias. Estas podem ir, vá lá, para o equipamento de série e para a maior qualidade intrínseca do conjunto. Seja como for dar mais 8.000 (12 mil com os opcionais) euros por esta versão da 508 SW é, mesmo, uma questão de emoções fortes… E de forte conta bancária!

Em termos estéticos a 508 SW continua elegante mas um poujco "dèjá vue" (Foto: Barragem Marechal Carmona, Idanha-a-Nova9

Em termos estéticos a 508 SW continua elegante mas um poujco “dèjá vue” (Foto: Barragem Marechal Carmona, Idanha-a-Nova9

Mas pronto: tudo na vida se justifica a e opção pela Peugeot 508 SW com motor 2.0 BlueHDi de 180 cv não é exceção. Claro que, em termos estéticos, vale nela o mesmo que foi dito já sobre a carrinha da gama 508: é elegante, mas agora já não deslumbra tanto como quando foi lançada, já lá vão uns anitos. Precisa de uns retoques, aqui e ali, para se manter atualizada e ao mesmo nível da concorrência. Mesmo assim, continua sem dúvida entre as mais apelativas e interessantes, em termos visuais, do segmento.

No entanto a 508 SW continua referencial dentro do seu segmento

No entanto a 508 SW continua referencial dentro do seu segmento

No que diz respeito à qualidade dos materiais, ergonomia e espaço, já existiram as melhorias necessárias, nomeadamente nesta segunda “série”, em que recebeu motores novos e novos sistemas de transmissão automática, pelo que a carrinha 508 é referencial e, também, está muito moderna. Até no que diz respeito a conetividade, sendo no entanto de rever a falta de um local ara se colocar o telemóvel, pois o único que existe está recuado na consola central, fica fechado e não é muito prático para ser aberto pelo condutor com o carro em movimento.

O Pack de iluminação com faróis xénon e DRL de LED é um opcional

O Pack de iluminação com faróis xénon e DRL de LED é um opcional

E já que falamos em equipamento, o teto panorâmico em vidro é de série e uma mais-valia que faz a diferença, sendo que, além de tudo aquilo que é exigível nesse segmento e quando se quer assumir uma tendência mais “premium” como é o caso da 508 SW, é de salientar o portão traseiro com abertura automática (600 euros), o porta-luvas iluminado e refrigerado, o “head up display” a cores e as jantes em liga leve Style 07 de 18” com pneus 235/45 R18. A ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro e com medição de espaço automático é um opcional e custa 290 euros. Bem como o Pack de iluminação, com faróis xénon com assinatura DRL em LED e lava-faróis e assistente automático de máximos (950 euros)

O portão de abertura elétrica é um dos opcionais desta unidade

O portão de abertura elétrica é um dos opcionais desta unidade

O resto é, enfim, tudo aquilo a que o condutor tem direito, desde o ar condicionado automático bi-zona com regulação traseira (a unidade ensaiada tinha AC quadri-zona com ventilação traseira e cortinas para-sol, por mais 320 euros), aos bancos em meio-couro Marston preto, sendo os dianteiros com regulação elétrica em altura e profundidade e ao volante forrado a couro e com comandos integrados.

A grande grelha continua a ser a parte mais distintiva da frente

A grande grelha continua a ser a parte mais distintiva da frente

Sem esquecer o material de “infotainement”, que inclui sistema áudio e de navegação integrados, apresentados em ecrã de 7” em HD e uso por toque, capazes de aceitar ligações USB, por “jack” e apoio a iPod e leitores de MP3 e quejandos. Em adição, esta unidade tinha o Pack Hi-Fi JBL que, por 690 euros, oferecia 10 altifalantes e um amplificador de 500 W, com dois “tweeters”, dois “woofers” e uma via central à frente, bem como dois “tweeters” e dois “woofers atrás além de uma caixa de baixos). Enfim, a parafernália toda e mais alguma, que é tão útil aos passageiros e para os condutores uma fonte de distração. Ainda bem que a Peugeot viu isso e começou a usar este bom senso a partir do 308…

O motor BleuHDI tem 180 cv e é económico e disponível

O motor BleuHDI tem 180 cv e é económico e disponível

Falando agora do motor 2.0 BlueHDi, temos que o mesmo está associado à nova caixa automática de seis relações, que faz toda a diferença em relação à anterior, sendo mais rápida e permitindo um melhor uso do binário disponível. Mesmo assim, algumas relações (5ª e 6ª) parecem demasiado longas, levando à escolha de relações mais baixas, penalizando um pouco os consumos. Estes ficam-se abaixo dos 6,5 l/100 kms, o que é bastante interessante.

As bonitas jantes de 18" são de série

As bonitas jantes de 18″ são de série

Em termos dinâmicos, os 180 cv e, principalmente, o generoso binário de 400 Nm, disponível a partir das 2.000 rpm, tornam esta uma opção mais poderosa, com a velocidade máxima a ultrapassar mesmo os 220 km/h. Contudo, estes podem ser números falaciosos, pois não é aconselhável abusar do acelerador, até porque eles andam aí…

A 508 SW 2.0 BlueHDi de 180cv possui argumentos que podem justificar a diferença de reço para a sua "gémea" 1.6 e-HDi de 115 cv

A 508 SW 2.0 BlueHDi de 180cv possui argumentos que podem justificar a diferença de reço para a sua “gémea” 1.6 e-HDi de 115 cv

Seja como for, o conforto dinâmico nunca é posto em causa, viaja-se bem e em silêncio, apenas quebrado por efeitos aerodinâmicos produzidos pelas barras no tejadilho. E, ao fim de viagens mas longas, como a que fizemos à Beira Baixa interior, até perto de Espanha, o cansaço é uma cena que não nos assiste. Nem à família e isso é bom – mas, na verdade, passou-se o mesmo com a versão 1.6 e-HDi de 115 cv e caixa manual de seis velocidade. Por isso, esta só pode ser uma escolha emocional, até porque custa uns milhares de euros a mais. Justificados, é claro, por tudo o que atrás foi dito…

Muito bem equipada suave e potente esta versão da 508 SW é uma boa proposta da Peugeot

Bem equipada e potente esta versão da 508 SW é uma boa proposta da Peugeot

Motor: Diant. transv., quatro cilindros em linha, 8 válvulas, 1.997 cc, turbo-Diesel de geometria variável, inj.direta c./“common rail”, “intercooler” e filtro de partículas; Potência (cv/rpm): 180/3.750; Binário Máx. (Nm/rpm): 400/2.000; Vel. Máx. (km/h): 226; Acel. 0-100 km/h (s): 8,6; Consumos (l/100 km): 4,6; Emissões CO2 (g/km): 120; Preço (euros): 42.865,01 (versão ensaiada: 46.135,01)

Esta unidade custava 4   euros mais '''' que a versão base (Foto: Idanha-a-Velha)

Esta unidade custava 46.135 euros, mais 3.270 que a versão base (Foto: Idanha-a-Velha)

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s