Renault Mégane ST 1.6 dCi 130 FAP BOSE Edition

Renovação na continuidade

Renault Mégane Sport Tourer 1.6 dCi 130 FAP BOSE Edition (Fotos: Vila Viçosa)

Renault Mégane Sport Tourer 1.6 dCi 130 FAP BOSE Edition (Fotos: Vila Viçosa)

O ligeiro “restyling” (na verdade, pouco mais que um… “peeling”!) que a Renault efetuou à sua gama Mégane, chegou a vez à Sport Tourer. A introdução da mais recente assinatura estilística na frente pouco ou nada acrescenta: de novo, apenas algum equipamento. No resto, a que é a carrinha mais vendida em Portugal continua a mesma: prática, confortável, espaçosa e económica. No fundo, esta quarta geração do modelo não é mais que uma renovação na continuidade. Afinal, em casa que ganha não se mexe. Ou, então, mesmo muito pouco!

Efetivamente, aquilo que a Renault chama de Mégane 2014 não é mais que uma ligeira atualização da geração lançada em 2012 e, por isso, não pode verdadeiramente chamar-se de uma nova geração – embora, conforme referimos na entrada, já seja chamada de “quarta geração”.

A alteração mais visível diz respeito a uma nova frente

A alteração mais visível diz respeito a uma nova frente

Esta atualização incidiu em alterações em alguns dos motores utilizados, num novo “design” da frente e numa melhor nivelação dos equipamentos. Progressivamente, a Renault foi estendendo essa atualização a toda a sua gama – sendo que as últimas versões a recebê-la foram a Sport Tourer (carrinha) e o Coupé Cabriolet (CC). O AutoanDRIVE ensaiou a versão da carrinha equipada com o motor 1.5 dCi de 130 cv, que não existia ainda na geração anterior.

Despachada e económica

O motor 1.6 dCi de 130 cv é a principal aposta nesta quarta geração

O motor 1.6 dCi de 130 cv é a principal aposta nesta quarta geração

E se, sobre a nova assinatura estética da frente, nada mais há a dizer (novos faróis, novos para-choques e nova grelha, em que o símbolo da marca tem maiores dimensões), a adoção daquele que te sido unanimemente considerado como a mais equilibrada opção em termos de motores turbo-Diesel – o bloco de 4 cilindros 1.6 dCi, cm 130 cv) revelou-se depressa uma mais-valia dentro da gama e aproximou a Mégane das suas rivais.

Onde contudo a nova Mégane faz a diferença é no nivelamento de equipamento

Onde contudo a nova Mégane faz a diferença é no nivelamento de equipamento

Com ele, a Mégane Sport Tourer ficou mais “solta”, mais disponível, mais agradável de conduzir e, claro, mais económica. O binário mais elevado (240 Nm na versão de 110 cv do motor 1.5 dCi, “contra” 320Nm neste motor) e logo disponível a partir das 1.750 rpm (na verdade, talvez até um pouco antes) permite uma utilização mais descomprometida, sem o recurso constante à caixa de velocidades (manual, com seis relações, fácil de utilizar e rápida q.b.), o que se reflete no conforto de rolamento (onde

Confortável e espaçosa a Mégane ST continua a ser uma referência no segmento

Confortável e espaçosa a Mégane ST continua a ser uma referência no segmento

a suspensão assume uma relação correta entre a firmeza necessária para a segurança dinâmica e a suavidade exigida em longas viagens) e, obviamente, nos consumos finais. Aqui, se a Renault anuncia frugais 4,0 l/100 kms, a verdade é menos otimista, ficando-se talvez um litro/litro e meio acima – o que, verdade seja dita, é bastante interessante e possibilita quase um milhar de quilómetros sem necessidade de ir à bomba…

O nível BOSE Edition é o topo de gama da Mégane ST

O nível BOSE Edition é o topo de gama da Mégane ST

Mas, onde houve de fato uma notável evolução foi no nível de equipamento. A Renault atualizou em termos de tecnologia, e conectividade a sua oferta, sendo de realçar, na versão BOSE Edition (o topo de gama) que existe uma palete de opcionais superior aos outros níveis, sendo de destacar o R-Link (400 euros) e o Pack Confort, com

A mais recente imagem da gama Mégane tornou-a mais jovem e assertiva

A mais recente imagem da gama Mégane tornou-a mais jovem e assertiva

estofos em carbono escuro (600 euros), que a “nossa” Mégane trazia. De resto, estava lá tudo: retrovisor interior electrocromático; vidros traseiros escurecidos; ar condicionado automático “bi-zone”; sistema de navegação Carminat by Tom Tom Live com cartografia Standard ; BoSE Sound System com nove altifalantes, dois “surrounds”, “subwoofer” + Bluetooth + Plug & Music; jantes em liga leve de 17” Akihiro Dark Diamant; barras

As barras no tejadillho e as jantes de 17" são de série nesta "edição"

As barras no tejadillho e as jantes de 17″ são de série nesta “edição”

longitudinais no tejadilho em cromado acetinado; volante forrado a couro perfurado; ambiente interior específico BOSE Edition; travão de estacionamento elétrico; sensores de chuva, luz e de ajuda ao estacionamento traseiro; sistema Stop&Start. O preço final é de 30.600 euros – e bem que se pode dizer que é competitivo, dentro do respetivo segmento.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Com este motor a Mégane ST fica mais ágil e económica

Com este motor a Mégane ST fica mais ágil e económica

Motor: Diant., 4 cil., 16 v., 1.598 cc, turbo-Diesel de geometria variável, admissão variável, inj.directa c./”common rail” e “intercooler”; Potência (cv/rpm): 131/4.000; Binário Máx. (Nm/rpm): 320/1.750; Vel. Máx. (km/h): 200; Acel. 0-100 km/h (s): 10,1; Consumos (l/100 km): 4,0; Emissões CO2 (g/km): 104; Preço (euros): 30.600 (unidade ensaiada: 32.720)

A versão BOSE Edition tem um preço de 30.600 euros

A versão BOSE Edition tem um preço de 30.600 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s