Mazda MX-5 MZR 2.0 Sport RC

‘Bora lá curtir!

Mazda MX-5 MZR 2.0 Sport RC (Fotos: Aldeia da Lapinha, Lagoa de Óbidos e Peniche)

Mazda MX-5 MZR 2.0 Sport RC (Fotos: Aldeia da Lapinha, Lagoa de Óbidos e Peniche)

Enfim, “the state of the art”. Neste caso, a arte dá pelo nome de Mazda MX-5 e, com 160 cv, merece uma postura ao volante bem de acordo com os seus pergaminhos históricos: irreverência, juventude, adrenalina pura. Mas também equilíbrio, som, um bom “kit” de unhas e, em especial com o botãozinho do controlo de tração no modo “off”, um certo bater (acelerado) de coração, para dominar este pequenote endiabrado. Bom, mas deixemo-nos de tretas e… ‘bora lá curtir!

A ementa é esta: cabelos ao vento, o roncar do motor e o uivar daquele, mãos firmes no volante, a caixa segura e certinha, a traseira a derivar aqui e ali…toca a fazer a estrada até à Lagoa de Óbidos e, suavemente, entre-se na bem preservada Aldeia da Lapinha, com as suas casinhas de brincar, a fazer lembrar a “terra”, a dos nossos avós, onde brincávamos com joaninhas de dia, e vaga-lumes, de noite, nas férias da escola. Que se podem alugar, para ficar a ouvir os melros e os rouxinóis, a namorar nos pinheiros agora inchados de flores claras, em conjunto com uma aragem morna, que traz até nós o olor salgado do peixe fresco no assador.

Mais cavalos, mais prazer

O Mazda M-5 com motor de 160 cv é ainda mais divertido

O Mazda M-5 com motor de 160 cv é ainda mais divertido

Rotunda do Cercal, direção Caldas da Rainha. EN366. Saia da povoação a cumprir os limites de ”50” e, mal passe a placa de “fim de localidade”… carregue bem no pedal do lado direito. O motor “acorda”, com um silvo e um roncar rouco, contínuo e viciante. A caixa de velocidades é rápida, seca e o som do engreno das mudanças ecoa, juto com o martelar metálico da transmissão, ali mesmo por trás da nossa nuca. O trânsito é, felizmente, escasso.

Para se andar depressa o ideal é com a capota assim...

Para se andar depressa o ideal é com a capota assim…

Aproveite bem: seguem-se meia dúzia de quilómetros até à povoação seguinte. São meia dúzia de quilómetros com curvas para todos os gostos: à esquerda, à direita, em topo, em gancho, encadeadas por entre grossos troncos de eucaliptos, à direita a subir a seguir a uma reta de 200 metros, à esquerda em parabólica, à esquerda em sexta a fundo e a meio da reta final – que termina numa curva à direita, que pode ser feita de acelerador em baixo, em quarta ou em quinta, a aliviar. Mas atenção: a partir daqui acabou-se a diversão. As aldeias são contínuas, pegadas umas às outras.

Sem capota o Mazda MX-5 é um pequeno sedutor para lentos passeios a dois

Sem capota o Mazda MX-5 é um pequeno sedutor para lentos passeios a dois

Contudo, até lá, de certezinha que retirou a barriga de misérias. O Mazda MX-5 é, já o dissemos mais que uma vez (https://autoandrive.com/2013/12/09/mazda-mx-5-mzr-1-8-exclusive-plus-roadster-coupe/ e https://autoandrive.com/2012/10/05/mazda-mx-5-1-8-126-cv-exclusive/) diversão pura e dura. Curtinho, com as rodas mesmo nos cantos da carroçaria, até parece um “kart” carroçado. E, com este motor de 2 litros, cujos cavalos subiram dos 126 do motor 1.8 para uns bem mais agradáveis 160, fica ainda mais engraçado e espevitado.

O Mazda MX-5 é divertido mas muito exigente quando levado perto dos limites

O Mazda MX-5 é divertido mas muito exigente quando levado perto dos limites

E exigente: a direção é muito direta, o mínimo toque pode desfazer a trajetória ideal; a suspensão é durinha e mantém o chassis, que é firme, embora o vezes o trem traseiro fique algo nervoso… embora “redondinho” ao longo da curva, mas as irregularidades do piso (felizmente, neste troço isso pouco sucede…) exigem que se seja muito exato na inserção, que se acredite sempre que a frente “está lá” – na direção que se pretende seguir. Atrás, a tração é sempre a mais justa, por efeito do diferencial autoblocante que é de série nesta versão.

Pequeno e robusto o MX-5 é um concentrado de emoções

Pequeno e robusto o MX-5 é um concentrado de emoções

Com este Mazda MX-5, as hesitações podem pagar-se caro, embora nunca chegue a ser assustador. Levezinho, muito ágil, com os pedais do acelerador e travão quase “colados”, facilitando a “ponta-tacão”, temos contudo que ser firmes e milimétricos com o volante. Autoritários, se quiser. E até pode “esmagar” o acelerador, que a deriva da traseira, se bem que ruidosa, não chega para pensar que está a bordo de um poderoso tração traseira feito a pesar no “drift”. Afinal, embora com mais 34 cv que o MX-5 1.8, o torque aumentou somente dos 167 para os 188 Nm – e, ainda por cima, presentes em regimes superiores (4.500 contra 5.000).

O MX-5 2.0 é um jovem  irrequieto brinquedo

O MX-5 2.0 é um jovem irrequieto brinquedo pronto a voar baixinho

Seja lá como for, o Mazda MX-5 2.0 é um jovem e irrequieto brinquedo. Curiosamente, apesar deste seu espírito (ou, se calhar por isso mesmo!) quando nos cruzamos na estrada com um “irmão”, lá dentro vai, quase sempre, um “maduro” – e não um pouco mais que “teenager” com sangue na guelra. Mas estas são outras histórias. Que até podem muito bem ter a ver com os quase 40 mil euros da fatura final – em especial, nesta versão “hardtop” Sport, em que o equipamento é topo de gama, incluindo bancos em couro aquecidos; ar concionado automático; jantes em liga leve de 17”

Exteriormente não existem diferenças para a versão com motor 1.8 de 126 cv

Exteriormente não existem diferenças para a versão com motor 1.8 de 126 cv

com dez raios e pneus 205/45 R17; sistema áudio BOSE com leitor de MP3 e carregador de 6 CD; arcos de segurança com efeito de alumínio escovado; estribos em aço inoxidável; faróis dianteiros de xénon com nivelamento automático e faróis de nevoeiro. Mas, pela diversão que inclui no “pack”, vai ver que até vale a pena. Isto, se o “pilim” não lhe fizer falta – é que, na verdade, ter um Mazda MX-5 é uma questão puramente hedonística. E, talvez, egoísta – ou, vá lá, de puro e duro prazer a dois. Afinal, como ele, o prazer, deve ser…

CARATERÍSTICAS TÉCNICAS:

Esta versão custa cerca de 6.000 euros mais que a equivalente com motor 1.8 de 126 cv

Esta versão custa cerca de 6.000 euros mais que a equivalente com motor 1.8

Motor: dianteiro, longitudinal; 4 cil. em linha, 1.999 cc, 16 v, DOHC, inj.eletrónica multiponto de gasolina; Potência (cv/rpm): 160/7.000; Binário Máx. (Nm/rpm): 188/5.000; Vel. Máx. (km/h): 218; Acel. 0-100 km/h (s): 7,9; Consumos (l/100 km): 7,8; Emissões CO2 (g/km): 181; Preço (euros): 39.128,80 (39.388,80 c./pintura metalizada)

Este  Mazda MX5 custa 40 mil euros mas quase que só pela diversão se justifica

Este Mazda MX5 custa pouco mais de 39 mil euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s