Peugeot 308 1.6 HDi FAP 92 Active

A escolha do equilíbrio

Peugeot 308 1.6 HDI FAP 92 Active (Fotos: Estremoz e Herdade das Ânforas, Arraiolos)

Peugeot 308 1.6 HDI FAP 92 Active (Fotos: Estremoz e Herdade das Ânforas, Arraiolos)

Lá diz o povo que no meio é que está a virtude. Mas, nestas coisas dos automóveis será que estará mesmo? Na gama 308, a Peugeot tem um leque de ofertas variado e denso. No que toca aos motores 1.6 HDi, a versão com 92 cv pode não estar ao centro, mas que pode bem ser uma escolha equilibrada e sensata, lá isso pode. Menos potente não quer dizer pior e isso até pode ter a sua vantagem, se dissermos que, para termos um destes, são precisos mais de 3.300 euros a… menos que para a versão mais musculada. O que, nestes tempos de vacas magras, nunca é de descurar.

Neste ensaio não vamos voltar a falar do novo Peugeot 308 – das suas qualidades e defeitos, da sua refrescante imagem estética, do seu interior espaçoso, amplo e quase, quase minimalista em termos de “gadgets” e comandos visíveis. Não, quem quiser saber isso tudo, basta clicar no “link” a seguir: https://autoandrive.com/2014/03/25/peugeot-308-1-6-e-hdi-115-cv-allure/. Está lá tudo. Agora, vamos falar do 308, é certo, mas da versão que, com o mesmo motor, “apenas” tem 92 cv estando associada a uma caixa manual de cinco velocidades; e ao nível de equipamento que não é o topo, mas sim o médio, o Active. Mesmo assim, vai depressa perceber que, com 92 ou 115 cv, as diferenças entre ambos são escassas. O que, se calhar, torna a sua escolha mais difícil; Nas veja a questão assim: este gasta cerca de 4,2 l/100 kms e custa menos 3.300 euros, na sua versão base. Convencido? Ou ainda mais confuso?

Tudo no sítio

O Peugeot 308 1.6 HDI de 92 cv chega bem para as encomendas

O Peugeot 308 1.6 HDI de 92 cv chega bem para as encomendas

O Peugeot 1.6 HDI de 92 cv não precisa de mais para ser ágil e, levado a exigências mais intensas, até interessante de conduzir, mostrando-se sempre disponível, desde os regimes mais baixos. Está tudo no sítio: o seu chassis é excelente, equilibrado e as ligações ao solo não privilegiam apenas o conforto, permitindo alguma diversão em troços, digamos, interessantes.

O chassis é firme e a direção informativa o suficiente ara ser divertido

O chassis é firme e a direção informativa o suficiente para ser divertido

A caixa de cinco velocidades acompanha o ritmo com facilidade e sem enganos levando-nos a ter confiança no conjunto. E a direção é informativa dura q.b. e coloca bem a frente nas curvas, sem que os excessos a levem a fugir do eixo. No final, quando se procuram os consumos, o sorriso que já trazíamos estampado na face aumenta até às orelhas: um depósito, mesmo a ritmos mais desbragados, permitem ir e vir a Madrid – ou lá perto… Ou seja, cerca de 1.200 quilómetros.

Os consumos ficam pouco acima dos 4 l/100 kms

Os consumos ficam pouco acima dos 4 l/100 kms

E quanto ao que oferece, o nível Active já traz de série uma… série de coisas bastante interessantes, tornando-se desde “nascença” muito completo. Por exemplo: “airbags” para o condutor e o passageiro, laterais e de cortina; sistema de travagem com ABS, repartidor eletrónico (REF) e travagem de emergência (AFU); controlo eletrónico de estabilidade (ESP); “Hill Assist”; jantes em liga leve “Quartz” de 16”; volante de três braços forrado a couro com friso cromado e comandos do rádio; sensores de

O nível Active significa um equipamento de série bastante bem composto

O nível Active significa um equipamento de série bastante bem composto

estacionamento; computador de bordo; painel de instrumentos com iluminação em LED brancos, agulhas vermelhas e fundo preto; faróis de nevoeiro; luzes de LED dianteiras e traseiras; Pack Visibilidade (“Follow-me-Home”, acendimento automático dos médios; retrovisor interior electrocromático; limpa-vidros com sensores de chuva); ar condicionado automático bi-zona; e rádio MP3 com ligações USB e Jack, Bluetooth, sistema de som Arkamys cm seis altifalantes, sistema de navegação, ecrã “touch screen” de 9,7”, entre outros.

Os opcionais desta unidade somavam pouco mais de 1.000 euros extras

Os opcionais desta unidade somavam pouco mais de 1.000 euros extras

As opções, nesta unidade, estavam a cargo da pintura metalizada (410 euros); leitor de CD e Peugeot Connect Box (390 euros); pack Conforto (apoio de braços com passagem para “skis”, 200 euros); Pack Fumeur (30 euros). O que, tudo somado eleva a conta final para os 25.430 euros, um valor nada exagerado pelo conjunto, em que se misturam de forma bem conseguida a modernidade das linhas, exteriores e interiores, com uma tecnologia já provada – e bem provada – noutras gamas e desde há muito tempo, sem que se tenha tornado entretanto obsoleta.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

A diferença de preço para o topo de gama faz desta uma versão apetecível do 308

A diferença de preço para o topo de gama faz desta uma versão apetecível do 308

Motor: diant. transv., quatro cilindros em linha, 8 válvulas, 1560 cc, turbo-Diesel de geometria variável, inj.direta c./“common rail”, “intercooler” e filtro de partículas; Potência (cv/rpm): 92/4.000; Binário Máx. (Nm/rpm): 230/1.750; Vel. Máx. (km/h): 183; Acel. 0-100 km/h (s): 12,8; Consumos (l/100 km): 3,6; Emissões CO2 (g/km): 93; Preço (euros): 24.400 (unidade ensaiada: 25.430)

O Peugeot 308 HDi de 92 cv  custa 24.400 euros na versão Active

O Peugeot 308 HDi de 92 cv custa 24.400 euros na versão Active

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s