Mazda 3 SKYACTIV-G 1.5 Evolve HS Navi

Acertar em cheio

Mazda 3 SKYACTIV-G 1.5 Evolve HS Navi (Fotos: Montemor-o-Novo)

Mazda 3 SKYACTIV-G 1.5 Evolve HS Navi (Fotos: Montemor-o-Novo)

À terceira foi de vez: a Mazda acertou em cheio, com a mais recente geração do seu “3”, a terceira. Estética fluida e ao mesmo tempo agressiva, até parece um “meio-Mazda 6” – ou, pelo menos, um Mazda 6 sem porta-bagagens. Ou seja: faz-se notado. Mas não só: a Mazda juntou a isto tudo um novo motor e embrulhou o pacote na perfeição, com o melhor da sua filosofia da (melhor) alma em movimento.

O novo Mazda 3 reflete, antes de mais, tudo aquilo que a marca nipónica quis dizer quando criou a referida filosofia: um perfil soberbo, com a já típica frente musculada, mas tão harmoniosa quanto sedutora, traduzindo uma linguagem de estilo, que a Mazda designa por KODO e que, em simultâneo, promove uma enorme vitalidade e um caráter desportivo.

A grelha em forma de asa sobressai quando se olha de frente

A grelha em forma de asa sobressai quando se olha de frente

A grelha em forma de asa na frente, as linhas fortes do perfil lateral e uma traseira truncada de forma elegante configuram a imagem total do novo Mazda 3. A linguagem estilística destaca-se ainda pelos grupos óticos dianteiros esguios, num ângulo que criam a sensação de estarmos perante um predador à espreita, pronto a avançar, iluminando o caminho com a nova e limpa assinatura luminosa, estruturada em volta de um aro brilhante, um esquema de LED e lentes interiores.

O interior é sóbrio, bem cuidado e muito ergonómico

O interior é sóbrio, bem cuidado e muito ergonómico

Lá dentro, o novo Mazda 3 apresenta um espaço ergonómico, todo orientado para o condutor, que fica perfeitamente integrado no conjunto, todo ele feito a pensar a sua função primeira – conduzir. O mesmo poderá ser dito quanto ao passageiro do lado, que tem igualmente o seu espaço próprio. Atrás, o espaço disponível não sobressai, antes ficando-se pelo normal neste segmento, embora se realce o fato de os joelhos não entrarem em conflito com as costas dos bancos dianteiros. Um terceiro passageiro viaja com as tradicionais dificuldades, apesar de a Mazda reivindicar para o seu “3” o melhor espaço para os ombros do segmento. Mas a verdade é que se forem apenas dois passageiros, eles encontram o necessário para boas e longas viagens, sem desconforto. E já agora, refira-se que o volume da bagageira é tudo menos referencial, pois não passa dos 350 litros, com os bancos no seu lugar, bastante longe dos principais “adversários”…

O espaço do habitáculo é suficiente para viagens longas sem desconforto

O espaço do habitáculo é suficiente para viagens longas sem desconforto

A qualidade de construção melhorou em relação à anterior geração e o habitáculo destaca-se pela sua simplicidade, uma tendência curiosa que muitas marcas estão a adotar neste momento, afastando-se das consolas centrais e dos painéis de instrumentos repletos de botões, botõezinhos e “milhares” de indicadores, que apenas complicam a missão do condutor e cuja utilidade imediata leva o sue tempo a perceber. No Mazda 3, apenas existe o essencial – e tudo com muita sobriedade, mas sem esquecer a elegância, o conforto e, em especial, a ergonomia. A visibilidade é boa de uma forma geral, podendo existir algum “conflito de interesses” para quem quiser utilizar o óculo traseiro, mas na verdade estão à disposição do condutor três espelhos e eles não estão lá apenas para perceber se a “poupa” está no sítio certo e não se desmanchou com o vento… Além disso, existem algumas ajudas ao estacionamento, como sensores e até mesmo uma câmara de marcha-atrás, nas versões mais equipadas.

Cordeiro com pele de lobo

O Mazda 3 é um cordeiro com pele de lobo apesar de ser agradável de conduzir

O Mazda 3 é um cordeiro com pele de lobo apesar de ser agradável de conduzir

Pois: é este novo Mazda 3 é um verdadeiro … cordeiro com pele de lobo. Sim, é certo que o chassis – antes de mais, é preciso explicar que a Mazda utilizou em todo o novo “3” tudo o que sabe da tecnologia de construção SKYACTIV, que mistura elementos de elevado gabarito para reduzir o peso do conjunto, desde o chassis ao motor, sem esquecer todo o trem rolante, permitindo que o Mazda 3 seja um carro leve e ágil – é excelente e que, associado a ligações ao solo firmes, mas sem serem desconfortáveis, permite alguma diversão, em situações de maior exigência dinâmica.

o Mazda 3 é bastante confortável e está bem equipado

o Mazda 3 é bastante confortável e está bem equipado

Sim, também é verdade que a direção é precisa e informativa, inscrevendo bem o carro nas curvas e delas permitindo que saia sem se descompor, no que é igualmente ajudado pelo faco rolamento da carroçaria. E sim, a caixa manual de seis velocidades é exata, bastante rápida no engreno e está bem escalonada.

Apesar de tudo os 101 cv do motor por vezes parecem algo escassos

Apesar de tudo os 101 cv do motor por vezes parecem algo escassos

Agora, não é menos verdade que a única opção em termos mecânicos – o novo motor 1.5 SKYACTIV-G, com uma moderna injeção direta a gasolina de 101 cv e um algo curto binário de 150 Nm que apenas começa a partir das 4.000 rpm, que vem substituir o antigo 1.6 MZR – não prima pela ligeireza. Apesar de ser bastante suave e sem vibrações a frio ou demasiado ruidoso nas rotações mais elevadas (mas isso também é resultado da boa insonorização do habitáculo feita pela Mazda), a verdade é que é algo insonso. Em especial, em regimes mais baixos, pois apenas “lá em cima” se sente espevitado. Caso contrário, não evita um constante recurso à caixa de velocidades o que vai refletir-se nos consumos que são algo elevados, apesar do sistema i-stop, que ”faz” calar o motor no pára-arranca do trânsito intenso ou citadino. O AutoanDRIVE, no máximo com duas pessoas a bordo e sem carga, utilizando estradas abertas e com trânsito escasso, não conseguiu fazer baixar a fasquia dos 7,2 l/100 km, muito longe dos 5,1 anunciados pela marca.

Os consumos são um pouo mais elevados do que a Mazda anuncia

Os consumos são um pouo mais elevados do que a Mazda anuncia

A unidade ensaiada era a topo de gama (Evolve HS Navi), incluindo no equipamento itens mais de acordo com o segmento superior, pelo que, lá dentro, o Mazda 3 mais se parecia com um Mazda 6. E, verdade seja dita, também na parte da frente…

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

O Mazda 3 apenas tem disponível o motor 1.5 SKYACTIV-G a gasolina de 101 cv

O Mazda 3 apenas tem disponível o motor 1.5 SKYACTIV-G a gasolina de 101 cv

Motor: diant. transv., em alumínio, quatro cilindros em linha, 16 v., 1.496 cc, inj.directa de gasolina, sistema i-stop; Potência (cv/rpm): 101/6.000; Binário Máx. (Nm/rpm): 150/4.000; Vel. Máx. (km/h): 182; Acel. 0-100 km/h (s): 10,8; Consumos (l/100 km): 5,1; Emissões CO2 (g/km): 119; Preço (euros): 22.650,80 (pintura metalizada)

A versão topo de gama do Mazda 3 custa 22.650 euros

A versão topo de gama do Mazda 3 custa 22.650 euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos e Divulgação (Interiores)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s