BMW 125d 3 p. 218 cv M-Line

Deixar a boa cheia de água

BMW 125d 3 p. M-Line

BMW 125d 3 p. M-Line

O BMW 125d é o mais potente da gama, no que diz respeito a motores turbo-Diesel. No segmento é, também, aquele que, com este nível de potência (218 cv) menores consumos se gaba de ter. Sem nada de novo por fora ou por dentro, nem sequer o “kit” aerodinâmico M-Line, este BMW 125d deixa, no entanto, muita água na boca, pelas suas capacidades dinâmicas.

É que o aspeto é mais que apenas isso: as formas escondem vitaminas insuspeitas, ou não estivesse por trás a assinatura da M-Performance. Por isso, não surpreende o equilíbrio do chassis, bem acolitado pelas ligações ao solo firmes e por uma direção precisa, nem a competência de um motor pleno de força e raça, mesmo se apenas gerido por uma rápida (mas menos que a automática Speedshift de oito velocidades) e muito precisa caixa manual de seis velocidades. Talvez que, depois deste, a água na boca cresça somente em direção ao M135i.

Os olhos também comem

O BMW 125d M-Line enche as  medidas a qualquer um

O BMW 125d M-Line enche as medidas a qualquer um

O BMW 125d enche as medidas a qualquer um. E os olhos, é claro. Nem que seja pelo “kit” aerodinâmico M-Line, um (necessário e justificado…) opcional que contribui para aumentar um pouco mais (cerca de 2000 euros) a fatura final. Mas isso são, enfim, meros “peanuts”. Em especial, para quem se encanta com os apêndices que prolongam a carroçaria quase até ao chão, na frente (para-choques evolvente e com lábio aerodinâmico inferior, integrando os faróis de nevoeiro), de lado (embaladeiras específicas) e atrás (difusor em plástico negro e dupla saída de escape).

A carroçaria de três portas é a mais indicada para um atleta deste quilate

A carroçaria de três portas é a mais indicada para um atleta deste quilate

E até a carroçaria de três portas, sem dúvida e por definição a mais desportiva, ajuda a esse efeito – curiosamente, deixando um pouco para trás o M135i, que o AutoanDRIVE já ensaiou (https://autoandrive.com/2013/06/26/bmw-m135i-5-p/ ) e que até tinha o mesmo “kit” e a mesma cor da carroçaria, embora o facto de ter cinco portas tornasse menos impressionante a sua silhueta.

A frente evidencia bem o "kit" aerodinâmico M

A frente evidencia bem o “kit” aerodinâmico M

Depois, está lá, nos estribos, aquele “Émezinho” mágico, que diz tudo o que é preciso saber para indicar o melhor caminho para a adrenalina. Afinal, não é qualquer um que pode ser ligado de forma tão íntima a uma letra que, no mudo “BêÉme”, quer simplesmente designar Motorsport, M-Performance – bom, seja o que for, desde que isso signifique união com uma desportividade sadia e inquestionável. Desporto automóvel, ao cabo e ao resto, o tal que faz parte dos genes da marca bávara. E, nisso, o BMW 125d não deixa os seus créditos por mãos alheias.

Aquela dinâmicaaaa…

Lá dentro, o BMW 125d tem um "kit" desportivo de eleição

Lá dentro, o BMW 125d tem um “kit” desportivo de eleição

Havia, dantes, aquele anúncio que gritava por “Aquela Máquinaaaa!” Mas, com o BMW 125d, entre outras coisas, o que apetece dizer mesmo é “Aquela Dinâmicaaaa!” E é bem verdade. É que o “kit” M não é apenas aerodinâmico – mas também é desportivo.

O "capot" esconde um motor turbo-Diesel de 218 cv

O “capot” esconde um motor turbo-Diesel de 218 cv

O “capot” de imponência bem vincada pelos tais acrescentos e abas alargadas, asas inferiores e bossas superiores, esconde, bem apertadinho e sem espaço livre para seja o que for a mais, o motor, bem conhecido de outras ofertas, de 4 cilindros e 2 litros de cilindrada – mas aqui com uma maior cavalagem, mais exatamente 218 – tornando-se a versão mais poderosa do motor cuja “boa vida” tem sido feita, desde os 120d aos 520d, passando pelos 320d, dentro da fasquia dos 184 cv. Aqui, tem “apenas” mais 34 cv. E isso nota-se – e bem! Até porque, por exemplo, comparando-o com o M135i, com motor 3.0 de 6 cilindros a gasolina, com 320 cv, o 125d apresenta o mesmo binário (450 Nm), disponível logo a partir das 1.500 rotações e “cheio” até às 2.500. O que, também por exemplo, faça com que, dos 0 aos 100 km/h, o 125d precise apenas de 6,5 segundos – mais 1,5 que o “tal” M135i.

Os pneus da frente e de trás têm medidas diferentes

Os pneus da frente e de trás têm medidas diferentes

Por isso, se está impressionado com estes valores e quer ver se eles “funcionam” mesmo, sente-se a bordo – encontrará uma ba posição de condução, como habitualmente na BMW muito envolvente e virada para si – e escolha o modo de condução Sport +, que torna a suspensão, o acelerador e a resposta do motor ainda amais assertiva. Tenha cuidado que, assim, as ajudas à condução (tipo controlo de tração), pouco ou nada funcionam. Mas, se acha que tem mãozinhas para o “bicho”, desligue-as totalmente e, bom, divirta-se!

Curto entre eixos e de ligações firmes ao solo o 125d é muito ágil

Curto entre eixos e de ligações firmes ao solo o 125d é muito ágil

Curtito entre eixos, o BMW 125d é muito ágil, sem dobrar o chassis nas zonas mais empenhativas e, ajudado pela tração às rodas de trás (maiores e mais baixas que as da frente: 225/40 R18 “contra” 245/35 R18), serpenteia de curva para curva, despejando improváveis doses de adrenalina. E dizemos improváveis porque tal sensação não seria suposto sair de um “simples” carro “Série 1” com motor turbo-Diesel. Mesmo se, como este, debita 218 cv – e muito saudáveis! Estranhamente, com consumos na ordem dos 7,5 litros aos 100 – que, as calmas, descem rapidamente para menos um litrinho, o que é sempre útil em tempo de vacas magras.

Num andamento razoável os consumos são na ordem dos 6,5 l/100 kms

Num andamento razoável os consumos são na ordem dos 6,5 l/100 kms

E por falar nestas, a unidade ensaiada pelo AutoanDRIVE custava mais de 56 mil euros – cerca de 13 mil a mais que na versão base. Este aumento da fatura final deveu-se ao fato de, como é óbvio, o BMW 125d poder ser recheado com o equipamento que muto bem quiser (ou puder). Basta apontar alguns: Pack Desportivo M (2.057 euros, inclui, entre outras “coisas”, o volante M em pele e multifunções; jantes em liga leve de 18” com os tais pneus mistos; bancos desportivos; suspensão desportiva adaptativa; e o Pack aerodinâmico); teto de abrir elétrico (841 euros); sistema Hi-Fi Harman/Kardon (687 euros) com ligações BMW Apps para ipod/iphone (215 euros); sistema de navegação profissional (1.449 euros); Pack conforto condução (985 euros, tem Servotronic e Cruise Control com função travão); pack conforto interior (302 euros) ou Pack iluminação (1.120 euros, inclui faróis bi-xénon, adaptativos e direcionais, cm sistema de lavagem e assistente de máximos, sensores de luz e de chuva); ou, enfim, o Pack proteção solar (348 euros). Satisfeito? Então, atreva-se!

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Este 125d estava recheado cm muitos "Pack" de equipamento

Este 125d estava recheado cm muitos “Pack” de equipamento

Motor: Diant., longitudinal, 4 cil. em linha, 16 v, 2 árvores de cames à cabeça, 1.995cc, turbo-Diesel, turbo-compressor de geometria variável c./”intercooler”, inj.directa múltipla “common rail”; Potência (cv/rpm): 218/4.400; Binário Máx. (Nm/rpm): 450/1.500 – 2.500; Vel. Máx. (km/h): 240; Acel. 0-100 km/h (s): 6,5; Consumos (l/100 km): 4,9; Emissões CO2 (g/km): 128; Preço (euros): 43.100 (unidade ensaiada: 56.066 euros)

Os opcionais da unidade ensaiada elevam o PVP para mais de 56 mil euros

Os opcionais da unidade ensaiada elevam o PVP para mais de 56 mil euros

Texto: Hélio Rodrigues; Fotos: C.Santos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s