SEAT Ibiza SC 1.4 TSI 180cv DSG Cupra Bocanegra

Puto! Parece uma consola!
 
Os dedos brincam com as patilhas, de um lado e do outro do volante. Em especial, quando as árvores que desfilam de um lado e do outro da paisagem se inclinam nas curvas, com uma velocidade quase alarmante e é preciso travar tão depressa quanto se acelera. O pé esquerdo trabalha ao mesmo tempo que o direito e os indicadores acariciam com fervor as patilhas. E só quando o motor zune, a aumentar de rotações, e as costas ficam mais coladas ao banco tipo “bacquet”, percebemos: não, isto não é uma consola – é um SEAT Ibiza SC Bocanegra, com o motor 1.4 TSI na declinação mais poderosa, a de 180 cv, chamada Cupra.

A designação Bocanegra surgiu quando, há 34 anos, a SEAT lançou o 1200 Sport, com uma frente negra inesquecível para o coração dos jovens irrequietos de então. Agora, no ano em que o Ibiza comemora um quarto de século, a marca espanhola decidiu associar o Bocanegra ao Ibiza SC (de Sport Coupé, a versão de três portas da sua mais recente geração). E, para apimentar mais esta associação, permitiu que ela se consumasse nas versões mais dilatadas do pequeno motor 1.4 TSI, equipado com um turbo-compressor e com o grau de potência esticado até aos 150 (FR) ou 180 cavalos (Cupra), o máximo até agora retirado daquele propulsor de origem VW. O estalo final está na caixa DSG de sete velocidades, com autoblocante electrónico XDS no modo “Sport” e com as tais patilhas no volante que fazem o coração disparar de curva em curva.

Equilíbrio frenético
O resultado desta ideia foi um auto-móvel endiabrado, irrequieto em todas as situações, mas senhor de um equilíbrio frenético quase perfeito, graças ao compor-tamento aguçado, mas previsível, do chassis curto e incisivo e a uma direcção muito directa e informativa; e do motor com uma alma enorme, sempre disponível e até solícita; e das suspensões mais rijas; e da… e da… (Não, não é gralha – é mesmo assim: todo o conjunto deste Ibiza desagua num gozo completo. Desde a silhueta embravecida pela Bocanegra, no centro da qual se destaca a grelha negra com rede em favos de mel, à cor Branco Candy, às jantes de 17” Sira Prata Cosmo de desenho especí-fico, aos vidros escu-recidos, ao tecto de abrir panorâmico, ao interior desportivo com os seus bancos tipo “bacquet” em pele negra pespontada a vermelho, ao volante forrado a pele negra com os mesmos pespontos, ao punho da caixa de velocidades com características semelhantes, ao painel de instrumentos, aos dois pedais metálicos, em que o do travão é maior e está de tal forma situado que o acto de ponta-tacão é quase por instinto – tudo foi pensado para desvanecer as almas jovens e rebeldes, um pouco ao estilo James Dean, “rebel without a cause”. Claro que, para os mais surpreendidos por reacções azedas do Ibiza Bocanegra, estão lá as ajudi-nhas de Cristo, como o ESP, que impede os piõezinhos no quintal do avô; mas, se se quiser – e souber! – gozar mesmo à séria, então carregue-se naquele botãozinho milagroso e desliguem-se as ajudas: depois disso, é preciso mesmo ter fé! E que a peça por trás do volante esteja à altura de todo este equilíbrio frenético que transpira de todos os poros do Ibiza Bocanegra.
Ah! É verdade: o preço. Bom, são pre-cisos pouco mais de 24 mil euros; pode parecer um exagero, mas não é! Este va-lor inclui tudo aquilo que já dissemos atrás, mais os faróis de nevoeiro com função “Cornering”, o sistema “Hill Hold”, o computador de bordo, a climatização Climatronic, os faróis dianteiros de dupla óptica, os espelhos retrovisores exteriores eléctricos e aquecidos, o “cruise control”, os comandos do rádio por trás do volante – enfim, um conjunto de ingredientes que fazem com que a factura final seja mais fácil de digerir.
E por falar em digestão, de quanta gasolina se alimenta esta… Bocanegra? Bom, antes de mais quero dizer que é de intenso mau gosto quando se diz que um desportivo gasta muito… em condução desportiva! Afinal, quando se está a ter prazer, alguém pensa em coisas acessórias e limitativas? Não, senhor, ninguém! Portanto, há que ser justo: o Bocanegra, em condução “à la… kart” (parece mesmo um “kart”, com as suas reacções súbitas mais precisas, bem medidas pelo chassis de escassa distância entre eixos), não gasta dez litros aos 100. Na verdade, a nossa autonomia deu para quase 500 quilómetros – e há que dizer que a capacidade do depósito não ultrapassa os 45 litros. É só fazer as contas…

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
Motor:
Diant. transv., quatro cilindros em linha, 1390 cc, inj.directa, turbo-compressor com intercooler, 2 árvores de cames à cabeça, 4 válvulas por cilindros, 16 v.
Potência (cv/rpm): 180 cv/6200
Vel. Máx. (km/h): 225
Acel. 0-100 km/h (s): 7,2
Consumos (l/100 km): 6,4
Emissões CO2 (g/km): 148
Preço (euros): 24170

Texto: Hélio Rodrigues
Fotos: C. Santos e Hélio Rodrigues

Anúncios

2 responses to “SEAT Ibiza SC 1.4 TSI 180cv DSG Cupra Bocanegra

  1. Acho que uma suspençao mais evoluida no modo sport e confort melhorava o automovel,assim como umas jantes mais bonitas e a nivel de cores haver mais opçoes.

  2. Pingback: SEAT Ibiza Cupra SC 1.4 180 cv DSG | AutoanDRIVE·

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s